terça-feira, outubro 24, 2006

DERROTA MORAL E LEGAL

A vitória de Lula por si não é o começo nem o fim de nada. Significa tão somente a continuidade da crise que se instalou no governo desde metade do ano passado. Somente terminará se Lula descer, for forçado a descer, do pedestal de arrogância em que se colocou ,abrir as portas do seu governo a uma investigação profunda e transparente,e, depois disso, conseguir receber um atestado de idoneidade da Justiça.




Lula e parte dos aloprados...


A popularidade de um líder político não é garantia de democracia. O fato de esta popularidade ter sido conquistada por meio de um gigantesco processo de mistificação coletiva e de compra de consciências faz, isto sim, com que a democracia se torne mais frágil e corra perigo de morte. O fato de Lula ser reeleito com a maioria dos votos válidos em 29 de outubro não lhe tornará isento das acusações, nem vai garantir a legitimidade de sua vitória. O que vai garantir esta legitimidade é a certeza da lisura do processo eleitoral. E esta lisura, no presente caso, está sendo posta em dúvida pelas ações suspeitas protagonizadas por gente do PT e patrocinado por muito dinheiro cuja origem o governo faz questão de esconder.

É quase certo que no mesmo dia da proclamação dos resultados, Lula e sua turma venham a atribuir ao “golpismo das elites” qualquer tentativa da oposição e de setores da sociedade em aprofundar as investigação e de esclarecimento sobre o dossiê anti-tucano e outros fatos mal explicados do governo petista.

Se o esclarecimento deste obscuro caso, dentre outros mal explicados, se fazia necessário com a vitória do tucano Alckmin, muito mais se fará se Lula for o vencedor . Um presidente que inicia um novo mandato sob suspeita de estar envolvido, por ação ou omissão, numa tentativa de fraudar o processo eleitoral através da desmoralização de adversários não merece outro caminho a não ser o da destituição, caso isto seja comprovado.

Certamente os lulistas – sim, passaram a existir mais lulistas do que petistas – reagirão de modo contundente às tentativas de esclarecimento e defenderão a legitimidade do mandato do seu líder. Mas a democracia brasileira estará em perigo se os setores mais lúcidos da sociedade, mais uma vez, se acomodarem ou se deixarem intimidar ao não exigirem este esclarecimento.

A vitória de Lula por si não é o começo nem o fim de nada. Significa tão somente a continuidade da crise que se instalou no governo desde metade do ano passado. Somente terminará se Lula descer, for forçado a descer, do pedestal de arrogância em que se colocou ,abrir as portas do seu governo a uma investigação profunda e transparente,e, depois disso, conseguir receber um atestado de idoneidade da Justiça. Como este dia parece ser o de São Nunca, Lula vai continuar a agir como tem feito até aqui. Vai se esconder, escamotear a verdade, fingir que não é com ele e tentar levar adiante o governo certo de que os milhões de votos recebidos lhe garante uma espécie de imunidade supra-constitucional. Enquanto isso, aqueles que foram removidos do governo por claro envolvimento com esquemas corrupto, continuarão a manipular, a corromper e a fraudar no submundo do poder, como é o caso de J Dirceu, acusado de ser um dos mentores do falso dossiê antitucano.

A verdade é que o atual governo Lula deixa com herança para o novo governo Lula uma sequência de impressões digitais. Continuará a ser noticia mais apropriada para as páginas polícias que para páginas sobre política. Sem que se passe a limpo tudo o que envolve o caso do dossiê –coisa que a PF faz questão de esconder – e a origem do dinheiro que financiaria esta farsa, Lula poderá ter conquistado politicamente o direito a mais um mandato ,mas moral e legalmente terá sido derrotado perante os olhos daqueles que não compactuam com a corrupção, a farsa e a ausência de ética . O seu governo, portanto, terá início sob o signo da contestação e da crise.

241006

7 comentários:

rosena disse...

Ola fernando - Tenho frequentado alguns blogs de petistas onde as opiniões contrárias ao seu candidato simplesmente são proibidas e censuradas.A gente nao consegue participar destes blogs. O que não acontece aqi.vi os comentarios de Sorus e notei que aqui não existe censura.Eles é que falam besteira! Mas os petistas não aprendem. Quanto ao debate de ontem o que vc achou? O debate entre os candidatos, so foi bom para o Geraldo, o Lula mentiu o tempol todo, engana, mente descaradamente, mentiroso contumaz, é lamentável que ainda tenha gente que possa aceitar e dar credito a um mentiroso.

SORUS disse...

Esse eleitorado reduzido de Alkimin, PRINCIPALMENTE OS DE SP é horrível mesmo.
Não perdem chance de se mostrarem preconceituosos e deslumbrados, falando que o PT é de Nordestino.
Não se enxergam, e não percebem que são governados pelo partido nojento do coronelismo e ditadura do país, rejeitados pelo Nordeste (e pelo país todo).
E o PFLê foi tão sortudo que encontrou um curral do jeito que ele gosta.. Sem eleição( CLAUDIO LENTO )...herdando do aliado PSDB.

Ramos disse...

Me lembro que nos Estados Unidos no início da década de 70 Richard Nixon foi reeleito, tomou posse e depois se descobriu que alguns aloprados do partido Republicano haviam invadido a sede do Partido democrata para surrupiar documentos e segredos de campanha. Descobriu-se que o proprio presidente estava envolvido nesta trama. O que aconteceu?Nixon foi praticamente forçado a renunciar ao cargo no meio do seu segundo mandato.Mas isto foi nos Estados Unidos. O seu artigo tem lógica. Não se pode esquecer toda a sujeira que o governo petista aprontou simplesmente pq o presidente foi eleito com grande maioria. É preciso investigar, investigar, investigar. Se o molusco tiver culpa no cartório deve ser punido pela lei. E isto não será golpismo.

Anônimo disse...

Os petistas são tão cegos em sua fé no messias, que não percebem o papel de massa de manobra a que se sujeitam.
Lulla/PT sempre meteu a boca em inúmeros políticos.
Os caras apareciam na mídia, XINGANDO os membros de outros partidos, chamando-os de ladrões, corruptos, pilantras e etc, etc, etc...
HOJE, a grande maioria dos que eram xingados, está no palanque do LU//A.
Este Sarney é diferente daquele que o PT e o lulla xingaram???
Agora aplaudem Delfin Neto, Barbalho, Sarney e outros tantos.
Provavelmente não vai demorar a chegar o dia em que vão ter que aplaudir FHC.
E vão aplaudir.

Anônimo disse...

Os petistas são tão cegos em sua fé no messias, que não percebem o papel de massa de manobra a que se sujeitam.
Lulla/PT sempre meteu a boca em inúmeros políticos.
Os caras apareciam na mídia, XINGANDO os membros de outros partidos, chamando-os de ladrões, corruptos, pilantras e etc, etc, etc...
HOJE, a grande maioria dos que eram xingados, está no palanque do LU//A.
Este Sarney é diferente daquele que o PT e o lulla xingaram???
Agora aplaudem Delfin Neto, Barbalho, Sarney e outros tantos.
Provavelmente não vai demorar a chegar o dia em que vão ter que aplaudir FHC.
E vão aplaudir.

Sofia disse...

Ótimo artigo Fernando complementando ao seu artigo anterior que se referia ao difícil 3º turno no qual Lula irá passar.
Se reeleito e ao que tudo parece até o momento isto irá acontecer, Lula não será mais endeusado como no dia da sua 1ª posse. Ele estará bastante fragilizado politicamente, não terá a maioria no congresso. E o fardo pesado de tantas denuncias que pairam sob seus ombros e aliados não dará sustentabilidade, respeitabilidade, credibilidade política. E torço para que ainda as leis vigorem no país. Que haja justiça. E que eles lulistas, petistas e o próprio Lula não possa mais atribuir os seus fracassos e escandalos em FH e na oposição.

Júlio César Montenegro disse...

O problema das torres de marfim é que de perto só se vê paredes e de longe tudo fica tão pequeno... quase invisível. Como o eleitorado de "nordestinos ignorantes")que está derrubando velhos mitos. Já caiu ACM/PFL, deu PT na Bahia. O PSDB do Tasso no Ceará. Os Sarneys desmoronando no Maranhão, mesmo com a gratidão do Lula (como o Alckmin tem a dos banqueiros beneficiados pelo Proer do FHC). O mais visível é a independência dos eternos explorados pelos "bacanas" das imposições dos (de)formadores de opinião que, encastelados na mídia gorda, já "convenceram" o eleitorado a votar no "caçador de marajás" e, por 2 vezes!, no "príncipe-sociólogo". Mas emplacar o Geraldo Alckmin está dificil, não é gente fina? Vão partir mesmo pro golpe? Cuidado pra não se cortarem...