sexta-feira, setembro 29, 2006

VOTO NUMA CAUSA

O Brasil provou estar muito mais preparado para o falatório populista e oco de Lula do que para o didatismo de Cristovam, em sua vã tentativa de mostrar o óbvio ululante: o de que a revolução educacional é a base necessária ao desenvolvimento e a justiça social neste país.


VOTO EM UMA CAUSA

Paradoxalmente, a eleição presidencial deste ano que, pelo que de ruim que aconteceu no governo Lula, tinha tudo para ser a mais disputada, a mais empolgante dos últimos tempos, acabou por se tornar na mais monótona, na mais apática, na mais medíocre. Culpa de quê?Basicamente, da descrença que tomou conta da sociedade, em especial da classe média, pela atividade política e pelos políticos em geral. No mesmo momento em que em Taiwan, na Tailândia e na Hungria – apenas para citar os mais recentes – a população vai às ruas contra governos corruptos, no Brasil, a indignação dos setores mais esclarecidos da sociedade não se transforma em ação efetiva contra o governo. Toda esta indignação fica limitada às páginas da imprensa, e aos sites da internet.

Lula e seu grupo tiveram a competência de reforçar a tese de que, no Brasil, todos os políticos são farinha do mesmo saco em matéria de malfeitos,e que, portanto, os desvios de rotas do PT são comuns a todos os demais partidos e políticos do Brasil. Trata-se de uma falácia. Mas grande parte da sociedade se convenceu disto, e esta convicção serviu como luva aos propósitos de Lula de se livrar da carga que pesava sobre si desde meados do ano passado e tentar reconstruir a sua imagem de “homem do povo” sensível às causas dos mais pobres.

A oposição deu grande contribuição, ao trocar o seu dever de fiscalizar o governo e de fazer cumprir a Constituição pela motivação de ordem eleitoral. A campanha pelo voto nulo, por seu turno, também partiu desta desmotivação do eleitor, desta falsa premissa de que todos os políticos são iguais, e, por isto, também vem servindo aos propósitos do governo.Se bem sucedida, retirará de cena votos válidos que certamente seriam dirigidos a candidatos de oposição. O voto nulo, portanto, será ao final das contas, muito mais um voto em Lula, podendo ser fator decisivo para a reeleição do sapo barbudo ainda no primeiro turno.

Não obstante eu ter sido, ao longo desta campanha, um duro crítico de alguns candidatos da oposição – em especial, do principal deles, Geraldo Alckmin – sou obrigado a reconhecer , agora, que numa comparação com aquele que está no poder, o trio principal de oposicionistas é muito melhor.Se, por um lado, não são candidatos que empolguem pela suas biografias, pelos seus projetos e pela suas atuações políticas, ao menos temos são três candidatos que não constrangiriam o eleitor que em algum deles confiasse o seu voto.Pelo menos, e isto não é pouco nas atuais circunstâncias, aparentam ser mais sérios, honestos e comprometidos com a coisa pública do que o atual presidente.Mas, como disse, tenho restrições à maioria deles.

Sobre Heloisa Helena as minhas restrições são de ordem ideológica. Ela representa hoje o que o PT de Lula representavam em décadas passadas, e um hipotético governo seu seria em termos políticos e econômicos nada menos do que o caos total. Sobre Alckmin, as minhas ressalvas são de ordem administrativa. Apesar da propaganda do candidato ter enfatizado suas realizações como governador de SP, Alckmin, a meu ver, falhou em dois setores fundamentais: educação e segurança. A vergonhosa oitava posição conseguida pelos estudantes paulistas no ranking de avaliação escolar, e a multiplicação das ações terroristas do PCC são a comprovação do que digo.Mesmo assim o considero capaz de exercer a presidência de um modo muito mais competente do que Lula, desde que , vitorioso, consiga unificar o seu partido, ultimamente tomado por divergências, intrigas e vaidades.

Critovam Buarque é um caso à parte, e motivo principal deste artigo. Não a figura do político propriamente dita, mas a causa que ele defende, com obsessiva persistência, nesta campanha,.Sempre considerei que, muito mais do que um simples projeto de governo, falta ao Brasil um projeto de Estado e um projeto de Nação. Lula provou que não tinha sequer um projeto de governo, mas tão somente um projeto de poder. E continua no mesmo caminho.Alckmin anuncia um heterogêneo e pouco consistente projeto de governo. Heloisa Helena esconde um projeto de Estado socialista e autoritário.Cristovam é o único que vai além e parece ter um projeto de Nação.

Assisti com simpatia a sua entrada na corrida presidencial - http://blogdofasoares.blogspot.com/2006/06/debate-qualificado_21.html - e saudei este fato como a esperança de que o debate eleitoral ganharia em qualidade. E ganhou. Mesmo assim, não foi o que eu muitos esperavam. Infelizmente, o Brasil provou estar muito mais preparado para o falatório populista e oco de Lula do que para o didatismo de Cristovam, em sua vã tentativa de mostrar o óbvio ululante: o de que a revolução educacional é a base necessária ao desenvolvimento e a justiça social neste país.O resultado desta pregação tem sido, na maioria das vezes, a desatenção e a ironia com que o candidato tem sido tratado pela mídia, que prefere dar atenção às asneiras ditas por Lula e às generalidades proferidas por Alckmin.

Apesar de tudo, Cristovam termina a campanha ancorado nos 2% de intenção de votos.Quem serão estes dois por cento de eleitores dispostos a votar no senador?Certamente, não são pessoas preocupadas apenas com as política de resultados imediatos e pouco consistentes. Certamente são pessoas que conseguem enxergar além dos próximos quatro anos, e compreendem que muitos dos problemas com os quais nos debatemos todos os dias somente serão resolvidos a médio e longo prazo, desde que iniciada com urgência a tão necessária revolução na educação brasileira. Certamente são pessoas que não se conformam com o velho e inútil debate sobre crescimento econômico e taxas de juros e pensam em termos de desenvolvimento econômico real e consistente, tal como ocorreu no Japão, na Coréia do Sul, em Cingapura, Taiwan, e agora vem ocorrendo na Espanha, na Irlanda, no Chile, países que colocaram a educação no topo das prioridades.Certamente são pessoas que desprezam estas políticas assistencialistas de cunho eleitoreiro praticadas por este governo e enxergam a inclusão destas multidões nos quadros da cidadania e no mercado do trabalho e do capital pela educação de qualidade. É isto! Portanto, muito mais do que no candidato Cristovam Buarque, voto em uma causa.

Tenho, inclusive, pontos de vista divergentes aos do candidato em matéria de educação.muitas vezes ele peca pelo excesso de romantismo plítico e por uma prática muito paternalista. Foi dele, quando governador de Brasília, a semente do projeto Bolsa Escola, ampliado em nível nacional pelo governo FHC e que acabou por se transformar no monstrengo do Bolsa Família no governo Lula, que o candidato pedetista repudia..É dele também o projeto da poupança educação, ou seja, uma conta bancária em nome de cada aluno de escola pública, que terá direito ao saque quando concluir o segundo grau. Vejo com bastante reservas ações deste tipo. Considero que se a escola é boa o governo não precisa pagar para que o aluno nela permaneça.E pagar para que o aluno permaneça numa escola ruim é no mínimo um contra senso e desperdício de dinheiro. Também sou crítico a respeito da pedagogia socialista de Paulo Freire da qual Cristovam parece ser entusiasta. Não obstante as restrições que eu tenha à visão pedagógica do candidato elas não são suficientes para invalidar a sua virtude de colocar o tema na agenda do debate eleitoral com sinceridade e conhecimento de causa, ao contrário dos demais candidatos que não demonstram uma coisa nem outra.

Portanto, votando em Cristovam estarei votando em uma das duas causas que mais me motivam a escrever e a discutir sobre política-a outra é a defesa de um Estado menor e mais eficiente. Estarei também, espero, dando a minha cota de contribuição para que ocorra o segundo turno. Que os eleitores de Alckmin, Heloisa e demais candidatos façam a sua parte, e que os eleitores que pensam em anular o voto como ato de protesto revejam a sua determinação. Já que não tivemos a altivez de sair às ruas e protestar contra a corrupção deste (des)governo, que ouçamos as palavras do ator Carlos Vereza, e não sejamos cúmplices. Farei a minha parte para que ocorra o segundo turno, e, caso ocorra, lá estarei de novo para dar o meu voto contra Lula. Assim seja.
290906


.

6 comentários:

pr disse...

A "presença" de Cristóvam Buarque para mim não foi surpresa. Até então não tinha tido realmente o espaço necessário e o momento certo de articular todo o seu pensamento diante dos fatos ,agora incontestes.Apesar de praticamente ser impossível se eleger, a sua presença nesse final, servirá tenho certeza como mais uma opção ao eleitor indeciso e até mesmo àquele que praticaria o voto envergonhado.Com isso ganhará tenho certeza o país,com a chance real do 2º turno e por conseguinte o afastamento do maior bandido ,chefe de quadrilha denunciada pelo procurador,da cadeira da presidencia da república. Que o fator Buarque faça se cumprir.

americo disse...

Todos devemos expor nossas opiniões. Cabe a cada um de nós, além disso, respeitar as opiniões alheias. Se fizéssemos isso, teríamos uma convivência muito melhor com as pessoas e formaríamos uma Nação muito mais forte e unida, em torno da idéia de respeito, ética e solidariedade.
Meu voto também é do CRISTOVAM 12. Acho também, que ele fecha as eleições com uns 5%. É ótimo, pela postura escolhida para a campanha. A educação deveria ser realmente, uma prioridade nacional. Vejam: as calamidades do passado, não vencidas, são o ônus terrível no futuro. Alguns entenderão a que me refiro.
Construamos nós, a cada dia, um país mais justo, democrático, solidário e ético. E não nos esqueçamos: fiscalizar a atuação dos políticos é nosso dever.
Um abraço a todos

Anônimo disse...

AGORA, CRISTOVAM NÃO É ISSO TUDO QUE VC FALOU, E BEM QUE PODERIA SER. VOTEI EM CRISTOVAM 3 VEZES EM BRASILIA, MAS HOJE VOTO CONTRA ELE, ATÉ SE TIVER UM POSTE. ELE FOI DISSIMULADO QUANDO ESTAVA NO PT E APROVEITOU O PARTIDO APENAS COMO ESCADA ELEITORAL, POR QUE NA VERDADE SEU PARTIDO ERA O PDT. CRISTOVAM É O POLÍTICO QUE É HOJE, GRAÇAS A FORTE MILITÂNCIA PETISTA QUE FOI DECISIVA NAS SUAS 3 ELEIÇÕES, MAS HOJE TRATA ESSA MESMA MILITÂNCIA COM TOTAL DESRESPEITO, COM ATAQUE GRATUITO A UM PARTIDO QUE LHE DEU VIDA POLÍTICA. SAIU DO PARTIDO MAIS COMO UM COVARDE.

QUANTO AO TEMA EDUCAÇÃO, ELE TEVE OPORTUNIDADE 2 VEZES PRA FAZER ALGUMA COISA E NADA FEZ, E PORTANTO NÃO TEM CREDIBILIDADE E NEM COMPETÊNCIA NECESSÁRIA PRA DIZER QUE É MELHOR QUE OS OUTROS NESSA ÁREA.

nida disse...

Que nos seja concedida, finalmente, a justiça divina a iluminar cada um de nós para que se faça a justiça pelas mãos dos homens nesse 1º de outubro.Torço para que vença nas urnas a indignação, o amor próprio e o carater do povo brasileiro, para que possamos nos sentir limpos e como disse o Cristóvam, possamos resgatar a esperança num futuro próspero e honrado, que nos foi roubada pelo atual presidente da Nação Brasileira.
Amigos, fiquem com Deus

Sofia disse...

Bom dia Fernando,Nídia, Pr, Américo e Anônimo.

Deus é brasileiro pessoal!!!!´Deus é brasileiro. Tanto é que Ele fez um Brasil de terra fértil, de muita água, locais maravilhosamente lindos para se conhecer, viver, muita riqueza e com um povo alegre, comunicativo. Ahhh!!!!! se não fosse a ganância do bicho HOMEM!!! Do bicho POLÍTICO!!!!
Por tudo aquilo que já dissemos aqui, discutimos, pensamos, gostaríamos, desejamos de um país melhor para todos e de poder viver num país democrático será consolidado amanhã.
Com certeza teremos o segundo turno. Ai sim, depois de assistirmos aos debates dos dois candidatos, em situação de igualdade, será justo e aceitável qualquer que seja o resultado.
Nós brasileiros precisamos disso. Sobrecai sobre os ombros de Lula tantos escândalos e ele sempre se omitindo de dar explicações, respostas a tantas perguntas, não seria justo, democrático, digno ele ganhar já no 1º turno.
Ele tinha que pedir desculpas à nação de ter escolhido somente pessoas "alopradas e despreparadas" para dividir o seu governo.É o mínimo que podemos esperar de uma digna e que queira ocupar novamente o cargo de maior importância no país.
Teremos esta oportunidade. Merecemos esta oportunidade. Como bem disse Nídia: "Torço para que vença nas urnas a indignação, o amor próprio e o carater do povo brasileiro, para que possamos nos sentir limpos e como disse o Cristóvam, possamos resgatar a esperança num futuro próspero e honrado, que nos foi roubada pelo atual presidente da Nação ". Estamos torcendo para isto acontecer.
Abraços
e....é 12 na cabeça rsrsr

Fernando Soares disse...

Amigos. Estou na expectativa, como todos, num misto de pessimismo com confança se isto é possível. Na verdade, os números do Vox Populi agora divulgados não me dão muita esperança. Mesmo a ausência de Lula no debate e a divulgação das fotos da grana parecem não ter afetado seus índices. Vamos aguardar os próximos números.A vitória do sapo em primeiro turno seria péssimo para a democracia por tudo o que aconteceu e acontece. O próprio processo eleitoral já está completamente maculado. Caso vença Lula, o país na segunda feira amanhecerá dividido...