quarta-feira, setembro 27, 2006

O PERSONALISMO NA POLÍTICA E A ESTRELA CADENTE


Lula não transfere a sua popularidade ao PT nos estados.

A política brasileira se faz muito mais em função de nomes e de pessoas do que de partidos e de idéias. Não é sem motivo que Lula lidera as pesquisas de intenção de votos, enquanto o seu partido claudica na maioria dos estados. É claro que , neste caso ,também contribuiu em muito a crise vivida pelo PT desde o ano passado. Os escândalos do mensalão, valerioduto, dólar na cueca, e a recente crise do dossiê, foram decisivos para a queda do partido. Mas parecem não ter afetado a popularidade de Lula.

Mas este fenômeno do personalismo na política e da fraqueza partidária não ocorre apenas com o PT. É comum aos demais partidos brasileiros. Políticos como Aécio Neves(MG), José Serra(SP), Paulo Souto(BA) e outros, que alcançam um grande índice de popularidade em seus estados, certamente conservariam estes altos índices independente dos partidos aos quais estivessem filiados.O povo não vota no partido, vota em candidatos. É capaz de votar, por exemplo, num candidato petista para presidente, num tucano para o governo de seu estado, num pemedebista para o senado e num pedetista para deputado. Interessa ao eleitor, sobretudo, as qualidades pessoais do candidato, seu carisma ou simpatia, e a sua capacidade administrativa ou legislativa É este forte personalismo que marca a nossa política e esta falta de tradição partidária são o que fazem com que os políticos mudem de partido como quem troca de camisa, sem que isto perturbe o eleitor.Sem dúvida, trata-se de – mais um - um grande mal da nossa política, que somente será corrigido num processo de educação política do povo.

No caso do PT, por mais que Lula se esforce para transferir parte de sua popularidade aos candidatos petistas nos estados, isto não acontece, se o candidato não tiver a sua própria identidade com o eleitorado. E os levantamentos de intenção de votos confirmam isto. O PT só consegue liderar em estados onde já é governo, tanto por força da personalidade do candidato à reeleição quanto do uso da máquina pública em função de sua candidatura.São estes os casos do Acre e do Piauí. Ou onde o candidato já é político conhecido e aprovado pelo eleitor, caso de Sergipe, onde o ex-prefeito de Aracaju, Marcelo Deda, lidera as pesquisas.

Portanto, voltando às eleições presidenciais, Lula só perderá o segundo mandato se a sua imagem pessoal ficar manchada definitivamente perante o eleitor. Trocando em miúdos, se o povo se convencer de que , pessoalmente , usufruiu de toda esta roubalheira patrocinada pelo seu partido.Enquanto ele tiver competência para continuar enganando e convencendo a maioria de que nada sabia e de que foi traído por um bando de aloprados, ele continuará a ter força suficiente para ser reeleito e assumir um segundo mandato. Não importando que o partido que ele fundou, ajudou a construir e liderou, esteja no pior dos infernos. Para a maioria, partidos pouco importa. O que importa são as pessoas.
270906

9 comentários:

SERGIO disse...

O grande problema de TODOS os polítcos e seus partidos, associados ou não a imprensa, é achar e até mesmo fazer valer a verdade, de que sabem o que se passa na cabeça do eleitor. Nenhum deles atentou-se ao fato de que o eleitor evoluiu nestes últimos 20 anos. Acham que controlam a vontade e a inteligencia do povo. Terão uma enorme surpresa. Para os políticos, achar que ainda compram os pobres e que sua propaganda os controla, será o passo para derrota.

lula lá outra vez!! disse...

QUERO FALAR SOBRE O DEBATE!!
Em minha modestissima opinião, Lula não deveria ir.
Deixa a HH socar o Geraldo.
O debate é apenas para uma classe que não irá mudar de opinião caso se saia mal ou se saia bem.
Portanto, para a campanha, os votos não mudam.
E se ele se sair bem no debate, de nada adianta, pois se mesmo o pais gerando por dois anos seguidos os indices de empregos hoje anunciadas a midia denigre mesmo.
Ora..

Salles disse...

Fernando
Também não acredito em partidos. Os políticos são os primeiros a desmoralizaos. Me lembro da eleição de 1989 qdo Collor foi eleito por um partido insignificante, que desapareceu pouco depois, o PRN.O povão que votou emm Collor não estava nem aí para o seu partido, queria votar no candidato. Partido polico no Brassil só serve para fazer caixa 2 em época eleitoral, nada mais. O PT parecia ser um partido sério, honesto e deu nesta bandalheira toda. Hoje ninguem acredita em partidos

Anônimo disse...

Mais um blog tucano!!!!!!!!!!!
Ora, ora, como os tucanos apelam. Agridem, caluniam, xingam. Deve ser o desespero. Talvez os senhores prefiram a companhia de ACM, Eduardo Jorge, Eduardo Azeredo, Gilberto Cassab, André Lara Rezende, César Maia, Afanázio Jazadi, Coronel Ubiratan (o diabo que o carregue), Daniel Dantas. A lama atinge a todos. Daí que o critério deve ser outro.

Sofia disse...

De fato Fernando, aqui no Brasil os partidos políticos não são fortes, determinantes. Quem são os responsáveis por isso? Os próprios políticos.
Eles deveriam ser os primeiros a darem maior valor ao partido. Mas não o fazem e mudam de partido de acordo com sua convenência e momento oportuno. Valorizam mais o carisma individual de cada um. Este é o grande mal aqui no Brasil.
Lula lá de novo, pode ficar tranquilo que nem HH ou CB não irão socar o Geraldo nem vice-versa. Se eles souberem aproveitar bem o espaço para debaterem as suas idéias, planos políticos para o Brasil será ótimo para todos.
Você ainda acha que Lula vai a algum debate????? Primeiro debater quais idéias, planos??? Ele NÃO SABE nunca de nada!!!!! Se ele for, os 40% e poucos % da nação brasileira que pretendem votar nele, mudará o seu voto na hora rsrsr. É melhor ele ficar bem quietinho debaixo do cobertor e seu copinho de bebida preferida do lado de sua cama rsrs e assistir ao debate. Quem sabe ele aprende alguma coisa boa e faça pelo Brasil e por nós.rsrs.

nidia disse...

Não entendi o raciocínio do anônimo! Se a lama atinge a todos e o critério deve ser outro, qual será??
Vejo que os lulistas ainda continuam querendo tapar o sol com peneira. Não se justifica um crime simplismente mostrando que outros também o fizeram. Se todos cometeream crimes, todos devem ser punidos. Por que então aceitar a corrupção do PT? Ou o que a gente diz é mentira. Vcs tentam rotular a nossa opinião, como opinião de tucano, pmdbista, etc... Nós não estamos carregando bandeira de nenhum partido. Da minha parte, sou apenas uma brasileira que quer viver no seu país com dignidade, que tenha meus direitos garantidos pela Constituição respeitados, e que sinta orgulho do meu País ( e que não sinta vergonha do meu presidente)

nidia disse...

Ops, desculpe o erro: simplesmente (o pessoal está vigiando, Ha, Ha!!!)

Sofia disse...

Olá Nídia,
Também compartilho de sua opinião. Quero morar num país digno, cujo presidente respeite seu povo. Que ele seja o primeiro a cumprir as leis; que promova o crescimento e desenvolvimento do país; que tenhamos uma educação de qualidade para todos; que os hospitais sejam bem equipados, médicos bem preparados e com um atendimento de qualidade para todos; que as estradas sejam boas para escoar toda produção; que as taxas tributárias sejam mais baixas. Enfim, gostaria de morar num país mais justo e poder sentir orgulho de ser brasileira. Não defendo nenhum partido em si. Mas quero a dignidade para todos. Será que desejar isto é errado? O certo é fechar os olhos, ouvidos e ficar passivos diante de tantos escândalos desviando bilhões de dólares dos cofres públicos sob a batuta do partido do presidente?
É aceitar a propagação da miséria através das migalhas da bolsa-família e não querer reveter este quadro para estas pessoas?
É otimo ter este espaço para discutirmos, dar a nossa opinião sem levantar a "bandeira de um partido".
Abraços

Júlio César Montenegro disse...

Como analista político quem previu que a estrela brilharia apenas no Acre e no Piauí, se ferrou brabo. 2° turno do R. G. do Sul... Olha a Bahia aí gente! ACM, que o Lula mudou de Leão do Norte para Hamster, perdeu de ponta a ponta. Jaques Wagner é o nome do novo governador da ex-capitania hereditária do Painho. Sr.analista, aproveite o recesso para comparar a queda dos deputados eleitos por PSDB e PFL de 98 para 2002 e 2006. Os pobres estão se tocando dos políticos que são ACIMA DE TUDO contra eles.