terça-feira, setembro 12, 2006

DE OLHO EM 2010 II

Menos pela falta de carisma do candidato, e mais pela disputa em torno de 2010, Alckmin não vingou.Calouro, num ninho de cobras criadas, o ex-governador acreditou que bastava o prestígio e a força do seu cargo para se impor, mesmo contra a vontade dos caciques tucanos. Não se impôs. De olho em 2010,todos eles abandonaram Alckmin à própria sorte, e, assim, contribuíram de alguma forma para consolidar a vitória de Lula.Pela segunda vez, em menos de um ano, Lula deve agradecer a generosidade tucana.




DE OLHO EM 2010 - II

Com a eleição residencial praticamente definida, faltando apenas o ritual de formalização em outubro, os caciques políticos já trabalham com o pensamento voltado para 2010. Isto, se, no segundo mandato de Lula, tudo correr nos trilhos, coisa que muita gente, na qual eu me incluo, duvida. Se eleito no primeiro turno com esmagadora maioria, poderá ser tentado a governar acima dos partidos, do Congresso e das instituições, estabelecendo um canal direto com as massas, e assumindo de vez o papel de “pai dos pobres”. Para quem no atual mandato constituiu ou deixou que se constituísse um ardiloso esquema de corrupção com o propósito de perpetuação no poder, tudo é possível de acontecer num segundo mandato.

Uma coisa é certa: se Lula quiser governar sobre os trilhos da democracia e do respeito às instituições, encontrará dificuldades maiores do que no atual mandato. Isto porque nada ,por enquanto, permite vislumbrar um Congresso menos fisiológico e corrupto do que o atual , e partidos mais dispostos a promover idéias e projetos do que negociar posições e cargos na administração federal,como acontece agora.

Ao que tudo indica, Lula contará com o apoio de um PT enfraquecido e desmoralizado, um PMDB dividido, e meia dúzia de partidos fracos e não confiáveis. Por isto, são plenamente compreensíveis e razoáveis as suspeitas de que Lula, a exemplo do venezuelano Chávez e do boliviano Morales, tente enveredar pelo caminho do autoritarismo populista, e, num golpe constitucional, promova a prorrogação do seu mandato.Mas vamos, ao menos nesta análise, tentar ser otimistas e imaginar que Lula não tente o caminho da aventura política.

É com esta possibilidade que os seus principais adversários, os tucanos, contam. Eles torcem para que Lula exerça um mandato medíocre, porém dentro da normalidade constitucional. Os tucanos obviamente não têm interesse em ver o circo em chamas, confiantes que estão de que 2010 será o seu grande ano.A principio, mais do que qualquer outro partido, o PSDB tem candidatos fortes – os próximos governadores de SP e MG – mas precisam, primeiro, de colocar ordem na própria casa, desarrumada com as intrigas e conflitos que vêm marcando a campanha de Alckmin. Existe um choque de interesses entre as principais lideranças tucanas. J Serra não se entende com Aécio, porque sabe ser ele o seu principal oponente, dentro do partido, em 2010. Aécio critica a hegemonia paulista no partido e defende a descentralização, admitindo até mesmo deixar o PSDB se não conseguir vencer as resistências dos serristas. Tasso Jereissati é criticado porque, sendo presidente do partido, não assumiu as sua responsabilidades, e, praticamente, abandonou a campanha de Alckmin para se dedicar à sua província, onde anda às turras com o governador tucano Lúcio Alcântara, que resolveu apoiar Lula. Até mesmo Fernando Henrique , que andava murcho e isolado, resolveu colocar fogo no ninho dos tucanos . Numa Carta Aberta divulgada no final da semana passada, desabafa toda a sua indignação e mágoa com o governo Lula e com o comando do seu partido.( ver: http://www.psdb.org.br/noticias.asp?id=25740

Além de arrumar a própria casa, têm que contar com um desempenho medíocre de Lula no segundo mandato, evitando repetir o erro de menosprezar a sua capacidade de reação em situações adversas, o que aconteceu quando da crise do mensalão. Se Lula realizar um governo um pouco acima da média , com ênfase no assistencialismo populista, certamente terá forças suficiente para indicar um candidato competitivo, pronto para tirar o sono e o sonho dos tucanos com relação à presidência em 2010. Afinal, não é de todo falsa a imagem de que um governante forte consegue eleger até mesmo um poste.

O fato é que, muito menos pela falta de carisma do candidato, e mais pela disputa em torno de 2010, Alckmin não vingou.Calouro, num ninho de cobras criadas, o ex-governador acreditou que bastava o prestígio e a força do seu cargo para se impor, mesmo contra a vontade dos caciques tucanos. Não se impôs. De olho em 2010,todos eles abandonaram Alckmin à própria sorte, e, assim, contribuíram de alguma forma para consolidar a vitória de Lula.Pela segunda vez, em menos de um ano, Lula deve agradecer a generosidade tucana.
120906

5 comentários:

Rosena disse...

Fernando Eu ainda tinha fé na derrota do Lula, mas agora tb não acredito. Como diz o ditado, cada povo tem o governo que merece. Acho precipitada esta disputapelo ano de 2010. muita água vai rolar, e tanto serra como Aécio terão que mostrar serviço primeiro.

Anônimo disse...

Lula, Collor(?????) e Aécio, ou Serra ?
Hummmm !!! Sei não...
Parece que já começou o agito para herdar o trono lulista em 2010. Aécio está estranho... Sua reação à carta do FHC...
Agora vejo no blog do Diego Casagrande a convergência socialista do Collor.
Ia esquecendo, ainda tem o Ciro Gomes...
Sei não...

Fred disse...

Também acho que tem sentido dizer que Lula podeá tentar um golpe para aumentar o seu poder, prorrogar o seu mandato. basta ele ir na tv e falar que o congresso não deixa governar, que a oposição não deixa governar, e pedir uma nova Constituição. Pronto.Lula, el imperador supremo do Brasil até a morte. Eleições em 2010 são ainda incertas, pois muita água vai rolar sob a ponte.

Fernando Soares disse...

Amigos.
É claro que tudo são ainda conjecturas, baseadas no que estamos a assistir. E o que temos é a quase certeza da vitória de Lula no primeiro turno, e dois governadores de estados fortes tb consagrados nas urnas. São, neste momento, os principais atores do jogo do poder que está por se iniciar. O que poderá acontecer, a partir de então, é incerto. Levando-se em conta o gosto de Lula e do PT pelo poder por meios escusos, a previsão de que boa coisa não virá é perfeitamente razoável...

Sofia disse...

Pode até ser que você tenha razão Fernando que os atuais candidatos já pensam em 2010.Por isso esta eleição está um horror.
Por outro lado é muito tempo e muitas coisa podem e devem acontecer e mudar o rumo da história.