sexta-feira, agosto 18, 2006

O CANTO DE SEREIA DO SAPO BARBUDO

Democracia é assim mesmo. Se o povo preferir o canto de sereia do sapo barbudo, que assim seja. Aos que não foram seduzidos pelo canto da sereia, resta continuar na trincheira, combatendo, vigiando e denunciando. Pela amostra que nos foi oferecida nestes quase quatro anos de governo, pouca esperança nos resta em relação aos próximos quatro anos.

O CANTO DE SEREIA DO SAPO BARBUDO

O processo eleitoral chegou ao fim? Pelo menos no que se refere às eleições presidenciais, parece que sim. A se considerar os resultados das pesquisas, o noticiário da mídia, a opinião de analistas e a euforia dos petistas, Lula já pode se considerar eleito e empossado.O que eu estou a dizer pode parecer uma heresia para muitos que , como eu, ansiaram para que o segundo semestre de 2006 chegasse depressa para que pudéssemos dar um final glorioso e democrático ao governo petista.Mas, a permanecer a tendência atual, teremos que esperar por mais quatro anos.Como entender esta tendência majoritária do eleitorado?

Segundo a opinião de muitos, este processo eleição apresenta muitas semelhanças com o de 1998. Naquela oportunidade, quem tentava a reeleição era o tucano Fernando Henrique, tendo o petista Lula como seu principal oponente, e Ciro Gomes como representante de uma terceira via ,cujo crescimento não foi suficiente para levar o pleito ao segundo turno. O ambiente econômico internacional, marcado por uma sucessão de crises, conduzia à prudência e foi o mote usado pelos marqueteiros da campanha de FH para garantir a sua reeleição.A continuação da estabilidade, representada por FH, em contraposição à incerteza a aventura, e ao risco representada pelas outras candidaturas garantiram a vitória tranqüila de FH no primeiro turno.

Hoje a história parece se repetir, com os personagens em posições inversas. Existe agora, como em 1998, um presidente em busca da reeleição e no uso e abuso da máquina pública. Seu principal adversário é um tucano, que defende mudanças. Há também uma “terceira via”, desta vez representada pela candidatura de Heloisa Helena. Muitos observadores da política, mesmo os de oposição à Lula, consideram que tanto hoje como em 98, a maioria do eleitorado já fez a opção pela estabilidade, que, na cabeça deste eleitorado, significa a continuidade.

A intensa propaganda governamental ao longo deste ano, parece ter conseguido, com sucesso, divulgar a idéia de que o Brasil cresceu e a vida da população desfavorecida melhorou, mesmo sendo evidente que nada disso ocorreu.Para acentuar esta falsa impressão, um conjunto de medidas assistencialistas foi implementado e ampliado neste ano eleitoral. Para complicar a vida dos oposicionistas, os governistas, maldosamente, insinuam que todos estes programas serão abolidos pelo novo presidente, caso ele não seja Lula.Com isto, coloca os seus adversários na defensiva.

Estes, por sua vez , não estão sendo capazes de passar à população algumas verdades incontestáveis: que o crescimento do país nestes anos se deu em ritmo de tartaruga; que o desemprego é uma realidade; que a educação e a saúde estão entregues ao abandono; que as estradas são um buraco só;que o tráfico de armas e de drogas é a atividade comercial em expansão;que os juros altos desestimulam o crescimento; que o excesso de tributos e o excesso de burocracia desestimulam os investimentos; e que o governo e seu partido montaram o maior esquema de corrupção institucionalizada da história deste país.Como se pode ver, é uma série de fatos que atestam a incompetência política e administrativa deste governo , bem como o nenhum compromisso com a ética e a coisa pública.Em muitos países, teria bastado a questão ética para derrubar o governo.Mas o Brasil é diferente.

No Brasil, à alienação política e/ou ao conservadorismo de grande parte do eleitorado, à farta distribuição de bolsas assistenciais e à incapacidade da oposição em denunciar as mazelas do governo, somou-se a escolha de um candidato de oposição que não consegue empolgar o eleitorado.Tudo isto talvez explique esta tendência amplamente favorável à Lula neste momento, e acentua em muitos esta convicção de que nada mais pode ser feito para detê-lo.

Mas democracia é isto mesmo. Se o povo preferir o canto de sereia do sapo barbudo, que assim seja. Aos que não foram seduzidos pelo canto da sereia, resta continuar na trincheira, combatendo, vigiando e denunciando. Pela amostra que nos foi oferecida nestes quase quatro anos de governo, pouca esperança nos resta em relação aos próximos quatro anos.
180806

7 comentários:

Kak disse...

AMIGO
O canto da sereia tem consistencia. O problema é que vcsinsistem em desmerecer um governo que pratica a política pelos pobres. Eles sabem reconhecer quem está do seu lado.

Rosena disse...

Nao estou tao pesimista como vc nete artigo. Acho que HH vai subir e levar ela mesma ou o tucano para o segundo turno. Sabe de uma coisa? Voto na HH. Ela diz algumas verdades e Lula tem medo dela.No segundo turno o Lulla tem que ir pro debate, e aí acoisa muda. Lula ao vivo debatendo é um desastre.O que ele vai responder??To com esperanças. No segundo turno até o panaca do alckmin vence

Nídia disse...

Eu concordo com a Rosena. Não acredito nas pesquisas. Acho que elas são forjadas. Existem "interesses" em divulgar esses dados e a mentira, hoje em dia, é utilizada como arma legal para se atingir o que se deseja e conseguir o apoio da "massa". Vemos na história da humanidade vários episódios, onde a massa louva ou mata um personagem dependendo de quem os lidera, dependendo do discurso ser convincente ou não. Um fato recente em que se viu claramente essa manipulação foi o impeachment do presidente Collor. Ele foi condenado porque usou dinheiro de campanha para comprar um carro e reformar os jardins de sua casa, e olhe que nem se cogitou dele ter usado indevidamente dinheiro público. Não estou querendo entrar no mérito da questão, apenas comparando as coisas pra mostrar como se manipula a opinião pública. Eu apenas quero dizer que o povo diz o que os "comunicadores" (políticos de um lado e mídia de outro) determinam. Naquela época fizeram uma lavagem cerebral no povo para que comparecessem às ruas de caras pintadas para pedir o impeachment do presidente. E quem compareceu às ruas? Apenas uma garotada que nem sabia o que estava fazendo. Perguntei a vários deles na ocasião, o que eles estavam fazendo, eles me responderam: estamos matando aula (na maior curtição). Não tinham conhecimento da importância que esse ato significaria para o destino do País.Um ato bastante inconsequente, mas eles estavam sendo guiados por velhas rapozas da política, que estavam infiltrados no "movimento". Quais os interesses dessas pessoas na época? Eu, talvez, ingenuamente penso que, havia uma dificuldade para que "negociações" fossem feitas em Brasília, tipo mensalão, o que foi confirmado, entre linhas, pelo Collor em recente entrevista na tv, e que também após a saida dele da presidência, muitos daqueles parlamentares que votaram a favor do impeachment, após pouco tempo estiveram envolvidos em grandes escândalos de corrupção e roubo de dinheiro público, o que demonstrou que eles não tinham moral pra derrubar o presidente. Hoje vemos pessoas afirmarem que mensalão (dinheiro do povo usado para comprar políticos), dinheiro na cueca, etc, é coisa da oposição. Essa prática é real, mesmo porque já foram condenados e cassados alguns deputados, e outros renunciaram em função disso o que prova que essa prática existe, mas os políticos ficam enrolando, pq na verdade a grande maioria faz uso de tal artifício, e usam os "comunicadores" para plantar na cabeça do povo que nada aconteceu. O LUla vem à tv e fala um monte de bobagem que o povo não entende, mas, mas como o povo já está com a cabeça feita, aceita sem entender o que se passa. Por isso eu acho importante que a gente siga trabalhndo no sentido de eliminar essa corja que assumiu o poder, (modestamente).
Um abraço

jAMIL disse...

Finalmente alg disse o que deve ser dito. NeM o proprio Alckmin acredita nas suas chances de vitória. É preciso ser realIsta e reconhecer que do jeito que as coisas estão o PT continua no poder,O PSDB entrou nesta para perder. Escolheu um candidato sério mas sem carisma algum. Com Serra as chances seriam muito maiores. Tem razão o PFL quando critica a campanha e pede para Alckmin ser mais agressivo.Quanto a Nìdia defender o Collor eu ão concordo. Collor deu o maior calote no povo, retendo a poupança de muitos nos bancos num ds maiores atos de irresponsabilidade que já se viu. Collor foi removido merecidamente. Era corrupto como o Lulla e não tinHa apoio no Congresso.

ARGUMENTO E PROSA disse...

Fernando
Parabéns pelo blog. É mais uma trincheira na luta contra os que não querem a democracia no Brasil
Um abraço

Sofia disse...

Bom dia!!!!!!
Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar pessoal.
Para toda situação têm-se que olhar os dois lados da moeda.
Não somos mais adolescentes na fase da formação e informação, e por isso mesmo sabemos que toda pesquisa não traça um perfil real da situação e pode-se manipular para mais ou para menos. Porém, sabemos que esta manipulação não é extravagante, extrema. Mas a manipulação existe sim.
Mesmo não tendo nenhuma simpatia pela política do PT e pela ação péssima do governo Lula, tenho que admitir que ele sabe usar e abusar da fragilidade humana, de sua pobreza e de sua falta de informação. Faz com sabedoria a política dos pobres, e segundo ele mesmo já disse:"é fácil, prazeroso e barato fazer política para esta classe, basta dar um prato de comida". É com pesar, dor no coração que tenho que concordar com ele em certos momentos. Só que ele, enquanto governo não faz nada de importante para mudar esta realidade. Mata-se a fome no momento apenas....mas....e a fome dos demais dias, como fica e ficará????? Sempre terá esta política assistencialista para ganhar eleições???
E a máxima: não se dá o peixe e sim ensina a pescar, onde fica?????Se fizer assim, qual a pauta para a próxima eleição????
Mesmo que no governo Collor tenha ocorrido desvio de dinheiro e tal, foi com certeza muito menos grave se comparado ao que aconteceu durante o governo de Lula, além de que, foi ainda no governo Collor que o Brasil teve acesso ao mundo da tecnologia, mercado aberto para importados, melhoria na qualidade e na produção de nossos carros etc etc etc.
Quanto aos candidatos atuais à presidência todos apresentam muito fragilidade. Espero que a população menos favorecida não hipnotizada pelo canto da sereia do sapo barbudo mais uma vez. Que eles consigam ver e perceber como são usados e que esta "falta idéia" de acabar com a fome do dia não irá melhorar em nada sua vida e pior ainda como um cidadão.

Sofia disse...

Ainda faço o seguinte comentário:
é repugnante a atitude de Lula enquanto pessoa: com a falsa idéia de acabar com a fome, não propicia o desenvolvimento para criar empregos, trabalhos, melhorar a educação tanto acadêmica como a funcional no campo. Não faz nada para melhorar a dignidade humana dos brasileiros menos favorecidos.
Concordo com Rosena e Nídia em parte. Quando se pergunta em quem irá votar, não é o nome de Lula que aparece em primeiro lugar.
Vamos aguardar então o dia da eleição.