segunda-feira, agosto 21, 2006

AS TENTAÇÕES CHAVISTAS DE LULA

Algumas das bases para esta possível agressão à democracia já estão lançadas. Temos um Congresso fraco, uma oposição tímida e a prática descarada do assistencialismo com fins eleitoreiros.Se a parte da sociedade que preza a democracia permanecer muda e inerte, e se Lula tiver a competência de levar adiante tal projeto de poder, estarão consolidadas todas as condições para que tal atentado aconteça.



Lula pode se deixar encantar por H Chávez e E Morales

TENTAÇÕES CHAVISTAS

Estaria Lula abandonado o petismo pelo lulismo?Sim, se nos basearmos no comportamento do candidato nesta campanha. Fica muito evidente o seu desejo de descolar a sua imagem do partido que ele construiu.Lula sabe que tem mais a perder do que a ganhar com esta associação. A crise moral e política de 2005 atingiu em cheio o partido, mas pegou apenas de raspão no presidente, quando muitos pensavam que ele estava mortalmente ferido.. Rolaram cabeças coroadas do partido. Nomes como J Dirceu, A Palocci, J Genoino, João Paulo Cunha, Delúbio Soares e Sílvio Pereira, que eram protagonistas até o ano passado, caíram vitimados pela cassação, pelo ostracismo, ou pelo descrédito político.

Lula foi preservado.Deu uma de bobo, mal-informado e “traído”, e com isso, mais a conivência da oposição que não quis iniciar um processo de impeachment no momento certo, conseguiu rapidamente recuperar a popularidade, fato que não ocorreu com o seu partido, que continua a ser, aos olhos da maioria, sinônimo de corrupção. Por isto, Lula investe cada vez mais na própria figura, seja por mera tática eleitoral, ou por estratégia, tendo em vista o seu , quase certo, segundo governo.E é justamente isso o que muitos temem: vitorioso e consagrado nas urnas, Lula esteja planejando para o seu segundo mandato um governo extremamente personalista.

O ex-petista Cristovam Buarque, que deve conhecer Lula melhor do que nós,teme que o nosso presidente venha a cair em “tentações chavistas”, numa referência ao governo autoritário de esquerda na Venezuela.O fato da popularidade de Lula ser muitíssimo maior do que a de seu partido, principalmente entre os segmentos mais carentes e desinformados da população, pode, perfeitamente, estar levando o presidente a este tipo de tentação. Modelos não lhe faltam: o próprio Hugo Chávez, na Venezuela e Evo Morales na Bolívia, para ficarmos nos dias atuais.. Se Lula fosse dado à leitura e à pesquisa, poderia buscar no passado alguns exemplos históricos, como os de Perón, na Argentina e Vargas no Brasil.

Todos eles guardam muitas semelhanças e poucas diferenças entre eles. São, em geral, governos autoritários, populistas e paternalistas, mesmo que alguns deles mantenham a aparência de democracia.. Na prática, tal modelo consiste na existência de um líder de massas, com uma boa dose de carisma pessoal, que conta com o apoio majoritário da população mais pobre, à qual se dirige de forma direta, dispensando a intermediação do parlamento, e à qual presta permanente assistência material e financeira, numa forma de clientelismo nacional.Ao contrário do que muitos supõem, apesar do discurso de esquerda, na prática não atacam as bases do capitalismo, e, por isto, costumam ser assimilados pela elite econômica e financeira , além de contar com a com a sustentação militar das forças armadas.

Contudo, existiria espaço para tal aventura autoritária e populista no Brasil, em pleno alvorecer do século XXI? Em tese, não. Mas a prática política poderá levar a tal.Algumas condições para que isto aconteça já começam a se fazer presentes.Na prática, tal projeto poderá se concretizar se a votação em Lula somada aos votos nulos for tão significativa a ponto de reduzir a oposição à insignificância, se o futuro Congresso continuar tão desmoralizado quanto o atual, se a oposição continuar tão enfraquecida e tatibitate quanto agora, se os setores democráticos da sociedade continuarem tão passivos quanto estão, se o assistencialismo governamental continuar tão ou mais intenso do que o atual, se as forças armadas forem cooptadas , e se os setores empresariais e financeiros não se sentirem ameaçados por tal projeto de poder.

Como se pode ver, algumas das bases para esta possível agressão à democracia já estão lançadas. Temos um Congresso fraco, uma oposição tímida e a prática descarada do assistencialismo com fins eleitoreiros.Se a parte da sociedade que preza a democracia permanecer muda e inerte, e se Lula tiver a competência de levar adiante tal projeto de poder, estarão consolidadas todas as condições para que tal atentado aconteça.

210806

7 comentários:

JAS disse...

O país está tomado por uma corja que vai jogá-lo no precipício definitivamente, se o povo permitir que o PT fique no poder ais quatro anos.Lula vai ser novamente presidente( que deus nos ajude e impeça ), com minoria na Câmra e no Senado. Diante de tal situação, imaginem o que será do próximo Congresso, quando sabemos que o mensalão é uma realidade. Imagine-se termos na presidência um cínico,irresponspável e despreparado- pessoal, moral e intelectualmente. Que país teremos?

Anônimo disse...

O seu artigo dá como certa a vitória de Lula. Eu discordo e digo por quê. Apesar de todos os erros da campanha de Alckmin, até o momento, ainda é cedo demais para se imaginar que a eleição está decidida. Agora mesmo o Ibope, no Rio Grande do Sul, apurou mudança nos números, favorecendo o ex-governador de São Paulo. Pela apatia e desmobilização, penso que os eleitores vão demorar um pouco mais para se definirem. E sempre, a qualquer momento, tantos os escândalos, como a enorme capacidade de dizer besteiras do Presidente, podem gerar um fato que mude verdadeiramente os rumos da eleição.

rosena disse...

Taí. concordo com a opinião do anonimo. Acho que a oposição está jogando a toalha antes do tempo. AHH está crescendo e o alckmin tb pode melhorar. lula diz muitas asneiras e começou a cantar vitoria antes do tempo. Vai ter segundo turno e no segundo turno ele perde
um abrço

Fernando Soares disse...

Tucanos e pefelistas ao não se entenderem quanto à campanha de Alckmin, fazem um grande favor à campanha de Lula. Não bastasse o petista ter a máquina do governo nas mãos, e um farto programa de doação de bolsas esmolas, a oposição bate cabeça contra cabeça. Torço para que tenhamos o segundo turno, mas, sinceramente, pelo andar da carruagem, não acredito.

José Manuel Dias disse...

A democracia é o pior dos sistemas, se excluiram todos os outros.
Churchil
O povo vai decidir e escolher o futuro...

Abraço de Portugal

sofia disse...

Hoje, do jeito que as coisas estão, os partidos políticos não são mais importantes para se ganhar uma eleição. O partido político só será importante para governar, pois, qualquer governo precisa ter uma base aliada forte para a aprovação de seus projetos, leis...
E se a eleição foca mais o carisma do político, Lula está com tudo......é a própria imagem da maioria do povo brasileiro: gosta de cachaça, gosta de futebol, fala errado, cara de malandro, não gosta de estudos, trabalha na maior leveza, conta piadinhas sem graça..... quer mais semelhança????

Anônimo disse...

Ô sofia, não desmereça assim o povo brasileiro. O brasileiro é um pouquinho melhor.