quinta-feira, agosto 17, 2006

ALCKMIN PAZ E AMOR?

Na campanha presidencial de 2002, o “gênio” Duda Mendonça – quem não se lembra? - construiu a imagem de um Lula virtual: o” Lulinha Paz e Amor”Tratava-se de um candidato simpático, cordial, conciliador e dedicado às propostas de governo.Deu certo. Na atual campanha, o que muitos exigem de Alckmin é o contrário. Que ele abandone o estilo “paz e amor” e adote um tom mais contundente, sem abandonar, é claro, a apresentação de propostas. Afinal, não se combate o PT apenas com flores.


Muitos querem que Alckmin denuncie o lado Pinóquio de Lula.

ALCKMIN PAZ E AMOR?

Não bastasse o fato de Lula estar liderando com folga as pesquisas, e aparentemente recuperado da crise que atingiu o seu governo no ano passado, a campanha do tucano Geraldo Alckmin ainda não encontrou o rumo certo. É fato que, desde o início, a candidatura de Alckmin tem sido alvo d divergências. Nascida não de um consenso dentro do partido, mas de uma imposição de Alckmin, sua candidatura nunca conseguiu agregar nem empolgar os próprios tucanos, nem seus aliados pefelistas.

Dentro das hostes tucanas é evidente a má vontade de José Serra e de seus aliados, que não digeriram o “atrevimento” do ex-governador, ao atropelar a candidatura do ex-prefeito paulistano. Agora,Serra prefere uma campanha independente da presidencial, dando a entender que Alckmin mais atrapalha do que ajuda o seu propósito de chegar ao governo do estado. Também é notório o alheamento do governador mineiro Aécio Neves, que só se “engajou” na campanha de Alckmin depois que um acordo que possibilitou o inicio da tramitação no Congresso da emenda que acaba com a reeleição. Como se sabe, o objetivo de Aécio é concorrer à presidência em 2010, o que seria impossível com Alckmin eleito e o instituto da reeleição em vigor.

Nas hostes pefelistas, o clima de insatisfação é maior ainda. Consideram a campanha de Alckmin moderada demais para quem se pretende enfrentar Lula e a máquina governamental. O que eles propõem é que o tucano bata sem piedade em Lula. Consideram que o presidente deixou impressões digitais espalhadas por toda cena do crime, e que, por isto, deve ser atacado sem tréguas.No entender dos pefelistas é o único modo de desmascara-lo junto ao eleitorado e reverter a tendência favorável a ele.

Até agora, Alckmin tem mantido o estilo light-diet. Defende o que ele define como campanha propositiva em contraposição à campanha denuncista. Afirma que campanha eleitoral é argumento e convencimento, não agressão, e que não pretende se afastar desta linha de atuação. Na verdade, o estilo pessoal e o temperamento do candidato tucano não combinam com a agressividade e a contundência que os aliados estão a exigir dele. Em SP suas campanhas sempre procuraram enfatizar mais o seu lado gerencial, de bom administrador, do que o lado de combatente político.

Na campanha presidencial de 2002, o “gênio” Duda Mendonça – quem não se lembra? - construiu a imagem de um Lula virtual: o” Lulinha Paz e Amor”Tratava-se de um candidato simpático, cordial, conciliador e dedicado às propostas de governo. Tal construção se fez necessária para ampliar as intenções de votos no candidato petista, que era visto, até então, como agressivo, intransigente, radical e mau-humorado. Deu certo. Na atual campanha, o que muitos exigem de Alckmin é o contrário. Que ele abandone o estilo “paz e amor” e adote um tom mais contundente, sem abandonar, é claro, a apresentação de propostas. Afinal, não se combate o PT apenas com flores.
170806

11 comentários:

MinasBlog disse...

Acabo de visitar um blog muito interessante e deixo aqui um convite para você visitá-lo.
MINASBLOG - http://www.itvmg.org.br/minasblog.
O Minasblog trata de questões polêmicas sobre a disputa eleitoral para o governo de Minas Gerais. Apresenta artigos, entrevistas e comentários sobre os principais assuntos que a cobertura diária da mídia não quer ou não ousa comentar. Um espaço democrático, informativo e interativo. Vários blogueiros já estão inclusive linkando o Minasblog. Vale uma conferida.

MINASBLOG -> http://www.itvmg.org.br/minasblog/
EMAIL -> minasblog@itvmg.org.br

Lima disse...

Se a campanha do Alckmin não for de capaz de realizar essa vinculação com as campanhas estaduais, está perdida. Essa eleição já é difícil. Com a traição deliberada de alguns estados, Minas, Pernambuco, Ceará, Rio e outros mais, fica impossível. Agora, é preciso ter clareza: ou o PSDB e PFL se revelam verdadeiros partidos políticos, com um mínimo de coesão e solidariedade, ou também podem estar assinado suas sentenças de morte.

Kaoos disse...

Ninguem mais acredita nesse alckmin.tucanos estão voando para o ninho de heloisa hehehehehe

Nídia disse...

Tenho pensado muito no resultados das pesquisas, e não acredito neles. Existem maneiras diferentes de se dizer as coisas, de se interpretar resultados de "selecionar" entrevistados. Afinal, quem vai votar no Lula? Até hoje não ouvi isso de ninguem. Todas as pessoas que eu converso não vão votar no Lula. Tenho lido vários artigos que dizem a mesma coisa. Então, que favoritismo é esse? Segundo Christina Fontanelle em seu artigo "Combinação alarmante" a conclusão é a mesma. Ela diz que os únicos lugares onde não se vê isso acontecer são nas pesquizas eleitorais e nas propagandas do Governa Federal.

Daniel Pearl disse...

Fernando Soares, agradeço o seu acesso ao blog "Desabafo Brasil". Na minhas esperiências na vida política tenho aprendido muitas coisas, e uma é não ser levado pelo caciques da grande mídia, todos oriundos da "Casa Grande". O presidente Lula queira ou queira tem mais méritos do que os "sociológos" e "doutores" do passado. Continuo votando em Lula, como faz a maioria do povo brasileiro, Lula é um mito, e mito ninguém destrói da noite para o dia. O que é engraçado no Brasil, é a mídia que é altamente corrupta querer consertar a nossa nação com a filosofia da "ética", ética? E a mídia tem "ética"? Quando passa o tempo todo perseguindo a honra de um presidente? Vamos lá, a ditadura já passou, ou não?

Nídia disse...

A ditadura passou?? A militar, sim mas hoje vivemos numa ditadura identificada como "democrático-socialista", cujos cabeças dizem governar para todos, porém, na pratica governam para alguns. Quem se beneficia com esse governo? A elite e certamente os banqueiros, como eles não fazem questão de esconder, numca tiveram tanto lucro. Também se beneficiam os que de uma forma ou de outra estão mamando nas tetas do governo, e olhe que são muitos. Na outra ponta da corda estão os outros simpatizantes desse governo que são os miseráveis que não conseguem raciocinar, não tem parâmetros para comparação, mas que o governo leva no bico com melzinho na boca e promessas vãs. O restante da população vive uma ditadura cruel. Esse governo pune quem se esforça para se profissonalizar, quem passa anos de sua vida estudando para se um bom profissional, e que na maioria das vezes tem que investir do proprio bolso para pagar os estudos, pune a iniciativa privada e é essa classe de trabalhadores, também chamada burguesia, que sustebta esse país e as vaidades do presidente. E somos obrigados a pagar altos tributos por isso, como em todo governo déspota e ditatorial e não temos os nossos direitos garantidos pela constituição, respeitados por esse governo. Sem falar na corrupção. Esse governo não poderia jamais sequer permitir desvio de dinheiro público, quanto mais usufruir dele, pois o discurso do PT foi sempre o de combater a corrupção. E agora o Lula está mais cínico do que nunca nos programas de propaganda eleitoral, mas hoje a gente tem certeza que ele mente.

Fernando Soares disse...

Olá Nídia
Respondendo a seu primeiro comentário, tb creio que existe um certo grau de manipulação nas pesquisas políticas que começam no modo como as perguntas são formuladas e terminam na divulgação dos resultados. Mas não creio que esta manipulação chegue ao nível de comprometer a "credibilidade" dos institutos de pesquisa.Em cada pesquisa existe o que eles chamam de "margem de erro".Um candidato que, por hipótese, tenha conseguido 40% de intenções de votos pode ser elevado a 41 ou 42%, enquanto outro que tenha conseguido os mesmos 40% pode ser rebaixado a 38%. Resultado final: candidato A 42%, candidato B 38%.
Mas não deixemos nos iludir. O fato é que para o nosso desgosto, o sapo barbudo, por esperteza, competência ou fraqueza da oposição está sabendo levar esta campanha a seu feitio e a liderança que ele ocupa nas pesquisas não foge muito da realidade. Elas refletem a tendência do momento. Assim como conheço muita gente que ,como eu e vc, não votará em Lula, tb sei de muitos que estão com o apedeuta. E, para ser sincero, acho que os próprios tucanos jogaram a toalha e ja pensam em 2010, com Aécio ou com Serra

Fernando Soares disse...

Daniel
Muitos destes caciques estão hoje aliados a Lula e ao PT. Em Minas, o PT se aliou a Newton, no Pará o aliado é Jader Barbalho. Em nível nacional o apoio de J Sarney tem sido imprescindível.E assim acontece na maioria dos estados. Esta aura de pureza do PT é pura mistificação. Sobre o fato de Lula ser um mito, tenho medo de um país cujo povo precisa de mitos. O país necessita de cidadãos e de líderes. Além do mais, Lula ŕevelou-se um mito de barro.

Fernando Soares disse...

Lima
VC tem razão. Mas como já disse num comentário acima, creio que tucanos e pefelistas já começam a cuidar de suas campanhas estaduais, porque consideram perdida a eleição presidencial.

Anônimo disse...

A oposição conservadora tentou golpear Lula no ano passado com aquela história de Marcos Valério , mensalão. Qdo descobriram que tinham o rabo preso por conta da campanha de Azeredo em 1998 ficaram mansinhos e colocaram o rabo no meio das pernas. O povo entendeu que tudo isso era golpismo, e estaõ dando o voto de confiança em Lula.
O povo compreende que Lula é um autentico líder popular, o unico que nesses ultimos 40 anos adota uma política voltada para o povo. Alckmin foi uma invenção dos conservadores para tentar retomar o poder. Sua fraqueza diante do grande líder do povo é enorme. Vai perder de goleada. Podem ter certeza de que não haverá segundo turno.

guerra é guerra disse...

Perdido por um, perdido por dois. Tem que bater com elegancia, mas tem que bater. Se a militancia diz não bata, é aí que tem que bater, Lulla não aguenta dois rounds. Se vai perder,pelo menos não passa vontade e se arrepende depois de não tê-lo feito. Só digo uma coisa, elles não pensariam duas vezes.