terça-feira, julho 04, 2006

MANTENDO A POBREZA CATIVA



MANTENDO A POBREZA CATIVA

Provavelmente devido à sua origem humilde, aos seus poucos anos de escola, e, segundo as más-línguas, ao seu apreço por algumas doses a mais, o presidente Lula costuma ser em certos momentos de uma sinceridade rústica, chocante e surpreendente pelos padrões de hipocrisia que costumam dar o tom dos pronunciamentos dos nossos políticos.Foi assim quando confessou ter inveja de um ditador africano por se perpetuar no poder do seu país; foi assim quando sugeriu que os brasileiros tirassem o traseiro do sofá e se mobilizassem pela queda dos juros; foi assim, agora, quando disse ser mais prazeroso governar para os pobres porque eles não dão trabalho, não vão à Brasília reivindicar, e se contentam com pouco.

Já foi o tempo em que Lula e seu partido desprezavam os setores desmobilizados da população pobre e davam preferência por aqueles que, tanto nas classes baixas como na classe média,de alguma forma estavam sob o raio de ação de organizações sob o controle ou sob a influência do PT. Foi na interação com estes movimentos – sindicatos, associações, movimentos rurais - que o PT cresceu, apareceu e alcançou o poder máximo do país.

A crise política e ética que abalou o governo petista no último ano, retirou de Lula uma parcela do apoio que desfrutava junto a setores da classe média, em especial a do funcionalismo público, e levou o presidente a buscar naquela maioria pobre, deseducada e desmobilizada, que antes ele e seu partido desprezava, a sua base eleitoral para um novo mandato.Nos últimos meses, o presidente não tem feito outra coisa se não, literalmente, cair nos braços do povo mais pobre, assumindo integralmente o discurso populista.

Ao contrário da campanha passada, onde, por força da pressão do seu partido e dos tais movimentos organizados,e pela necessidade de arrebanhar votos na classe média, havia um esboço de programa de governo no sentido da eliminação gradativa da pobreza através de políticas inclusivas ligadas ao crescimento econômico e à diminuição do desemprego, o que se vê agora é diferente.O que se vê hoje é que Lula não tem nenhum projeto que resgate essa imensa maioria da pobreza, através de políticas públicas que promovam, por exemplo, a educação, o crescimento e o emprego. Nada disso.O que temos é a manutenção da pobreza cativa à custa do esmolário oficial – Fome Zero, Bolsa Família – emoldurado por uma intensa e dispendiosa propaganda na mídia.

O resultado disso, longe de representar a diminuição das desigualdades sociais poderá acentuar a secessão social – ricos x pobres – e a acentuação do apartheid social, com o presidente, demagogicamente, tomando partido dos pobres. E, sustentado por eles, tentando se perpetuar no poder. Já temos assistido a este filme na Venezuela de Hugo Chavez.Lula quer repeti-lo, como uma farsa, no Brasil.

040706

3 comentários:

O QUE É O PT? disse...

petista não têm cerebro, têm um peido concentrado no
lugar.
petista não raciocina, têm espasmos.
petista não dialoga, vocifera palavrões.
petista não faz acordo, impõe.
petista não trabalha, enrola.
petista não anda, rasteja.
petista não respira, suga.
petista não gesticula, agride.
petista não come, rumina.
petista não bebe, se afoga.
petista não erra, se equivoca.
petista não é gente, é sub-raça!

alckmin = serra e fhc disse...

CARO BLOGUEIRO TUCANO
Não há diferença entre Alkmim, Serra, ou FHC, para o povo é tudo igual, as mesmas forças que apoiam e dão dinheiro para a candidatura de Alkmim, são as mesmas que o fariam para o Serra, e as mesmas que o fizeram para FHC. Não há diferença, o governo seria o mesmo. Quem mandaria no país continuaria sendo os financiadores da campanha, que no caso do PSDB encontramos forças ligadas às multinacionais e oligarquias internacionais do poder. Por isso FHC foi submisso aos americanos, e por isso repudiamos o PSDB.

Anônimo disse...

O PT é destruidor. Com seus "braços" pretende destruir o que existe no pais, e visto o ocorrido na Bahia, onde o PT destruiu toda a cultura do cacau, e hoje, com as suspeitas sobre as ocorrências de pragas no gado, nas lavouras por todo o pais, a impressão que é um partido de "terras arrasadas", o que fará o pais regressar ao século XV, sendo dominado por hordas petistas, que, como vampiros, escravizarão todos aqueles que não os interessarem. Falácia à parte são como "cachorrinhos" dias de todos os paises, mormente aos "latinos castelhanos", aos quais se apresentam com o rabo entre as pernas.