sábado, julho 29, 2006

CORROMPENDO A DEMOCRACIA

Para muitos, o PT no poder destruiu os nobres ideais que o partido sempre defendeu ao longo dos anos em que foi oposição a tudo e a todos. Os defensores desta tese partem do princípio de que o partido, diferentemente dos demais, era ético, puro, e sempre comprometido com os nobres ideais da política.No caso do PT, a lenda falou mais alto do que a realidade. E a realidade é que o fato do PT no poder revelar-se um partido corrupto, venal e preocupado prioritariamente com a manutenção do poder, revelou apenas uma de suas faces, contraditória à sua retórica dos tempos de oposição. A outra é a do autoritarismo, já esboçada mesmo nos anos em que o partido militava no campo oposicionista.



CORROMPENDO A DEMOCRACIA

Para muitos, o PT no poder destruiu os nobres ideais que o partido sempre defendeu ao longo dos anos em que foi oposição a tudo e a todos. Os defensores desta tese partem do princípio de que o partido, diferentemente dos demais, era ético, puro, e sempre comprometido com os nobres ideais da política.No caso do PT, a lenda falou mais alto do que a realidade. E a realidade é que o fato do PT no poder revelar-se um partido corrupto, venal e preocupado prioritariamente com a manutenção do poder, revelou apenas uma de suas faces, contraditória à sua retórica dos tempos de oposição. A outra é a do autoritarismo, já esboçada mesmo nos anos em que o partido militava no campo oposicionista.


Em nenhum momento dos 25 anos de sua existência, o PT demonstrou compromisso sério com a democracia e suas instituições. Sob a máscara do perfeccionismo e do falso moralismo , o PT não cansou de dar seguidas demonstrações de pouco apreço com os valores democráticos e suas instituições.Alguns exemplos, já fazem parte da História. Em 1984, por ocasião da eleição de Tancredo Neves, se recusou a participar do Colégio Eleitoral, alegando ser um mero arranjo das elites políticas para afastar a participação popular. Como resultado, expulsou deputados que se colocaram a favor, numa prova de que a intransigência já vem do berço.

Combateu duramente o Plano Real,com o argumento de que se tratava de um plano eleitoreiro e fadado ao fracasso. Em diversas votações no Congresso, quando estava em jogo o interesse da nação, o PT boicotou, ou votou contra, simplesmente porque se tratavam de projetos concebidos pelos que o partido definia como representantes das “elites decadentes”. Em mais de uma ocasião o PT contribuiu para um clima de caça as bruxas, incentivando a criação de CPIs a torto e a direito, nas quais denúncias fundamentadas se misturavam com denúncias sem fundamento algum, e cidadãos de bem eram jogados na mesma vala de notórios corruptos. Enfim, o PT foi especialista na criação de um ambiente do “quanto pior melhor.”

Para o partido, as instituições tradicionais não bastam.É preciso mobilizar parcelas da população o povo no sentido de fazê-lo atuar mais diretamente, como força de pressão a favor dos interesses do partido. Neste sentido, o apoio explícito aos movimentos sociais teve como alvo prioritário o fortalecimento do partido. Tais “movimentos”tornaram-se muito mais braços organizacionais do partido do que organizações de defesa dos interesses das categorias que alegavam representar. Não é por nada que estes movimentos, quando da ascensão do PT ao poder se mostram tão submissos aos interesses do governo petista, e tão inativos na defesa dos interesses populares.

Atuando na oposição, mas preparando o caminho para a ocupação do poder, o partido tratou de ocupar posições estratégicas no serviço público, com militantes fiéis dispostos a colaborar com o partido acima dos interesses do Estado. De fato o PT jamais assumiu uma postura de defesa da democracia e da liberdade.E nem poderia, já que seu time era outro. Sempre argumentou a favor de um difuso e incerto “socialismo democrático” Difuso e incerto quanto as correntes que conviviam sob o mesmo teto, que iam desde trotskistas a stalinistas, passando por maoístas, castristas e até mesmo sindicalistas, que lhe emprestavam um caráter de partido autenticamente operário. Em comum o mesmo desprezo pelo liberalismo e pela democracia “burguesa”, e o mesmo apreço ao autoritarismo, apesar da queda do muro de Berlim ter limitado o seu discurso socialista.


Ao chegar ao poder, tratou de aparelhar o Estado, ocupar todos os espaços, submeter aliados através da compra do apoio, limitar a liberdade de imprensa por meio do “Conselhão” de jornalismo, mas sem mexer nos fundamentos da economia. Procurou aplicar a fórmula de unir a política autoritária “de esquerda”, o que lhe garantia a manutenção do poder político ao sistema capitalista, o que lhe garantiria o apoio do sistema financeiro .No poder,abandonou o indefinido discurso socialista, deixou órfãos militantes como Heloisa Helena, e adotou o máximo de pragmatismo possível, dado que uma aventura do tipo socialista traria nada menos do que o caos.

A propósito,dentro deste contexto, o exemplo mais evidente de que o pragmatismo supera a ideologia é o da China,onde o totalitarismo político de esquerda convive com as delícias do capitalismo globalizado no qual a China se encontra cada vez mais inserido, apesar de ainda se definir comunista..O PT parece se espelhar neste modelo.Só que para concretiza-lo teve que se aliar ao que de pior existia na política.E seus novos aliados, formados num mundo distante da disciplina partidária que caracteriza os partidos de tendência totalitárias, quando se sentiram prejudicados deram com a língua nos dentes e colocaram todo o esquema de perpetuação no poder a perder.A débâcle só não foi total porque, por paradoxal que possa parecer, o PT se agarrara na tábua de salvação que pode leva-lo a mais quatro anos de poder, ou seja o próprio presidente Lula. Com o prestígio aparentemente incólume junto as parcelas mais pobres da população, sempre carentes de uma figura messiânica e paternal, e ancorado na generosidade dos programas assistencialistas, não são pequenas as chances de Lula ser reeleito.

12 comentários:

CHORO DA OPOSIÇÃO disse...

Desesperados como sempre
os tucanos, pefelistas e conservadores apelam para tudo, na tentativa de desmoralizar o PT. Tentaram de rubar Lula e agora choram a sua liderança nas pesquisas. Os conservadores não se conformam de haver pesrdido o poder e repetem a mesma cnatilena de sempre: a de que o PT é um partido de corruptos, que é contra a democracia e bla bla bla
Vão se coçar... o povo sabe reconhecer a verdade. E a verdade é que Lula terá mais quatro anos para o desespero da tucanada.

zappi disse...

Parabéns, excelente post. Além do mencionado, está também a militância do PT contra qualquer privatização. O argumento que usavam era o de que as estatais eram vendidas a baixo preço. A verdade é que as estatais são a fonte da força corrupta do PT. Se tirarmos as estatais e diminuirmos o tamanho do Estado o PT definha e morre. Temos que militar a favor de privatizar a PETROBRÁS e o Banco do Brasil com toda a urgência possível. Lembre-se que a estratégia do PT não mudou e está aqui. Privatização já. A respeito do sanguessugismo, nunca devemos esquecer o que realmente é uma sanguessuga (aqui).

Fernando Soares disse...

Pois é, Zappi
Não estaríamos errados se afirmássemos que O PT precisa de um Estado gigante, porque , sem ele, como sobreviveriam os sanguessugas petistas? Os petistas se alimentam justamente dissso: muito sangue, suor e lágrimas arrancados do setor privado, às custas dos elevados impostos que somos obrigados a pagar. Especialmente a classe média que o PT parece querer destruir.

Parabéns pelo seu blog. Bem construido, e com coisas a dizer. Precisamos de mais e mais gente que ajude a desmascarar a farsa petista.

choro da oposição disse...

Aos tucanos deste blog
O governo Lula conseguiu equilibrar as contas do país sem a necesidade de entregar o patrimônio a peso de banana para grupos de amigos , como aconteceu no governo de FHC
Lula tirou o FMI da jogada e agora pode empregar a grana em projetos sociais. A oposição está babando de inveja. Lula aumentou o prestigio nos setores pobres da popuação e nos proximos quatro anos vai executar a maior política social da história deste país.
Sem choro,por favor

Fernando Soares disse...

É ótimo que tenhamos um defensor de Lula neste blog. Assim o debate fica mais animado e proveitoso. També acho que o processo de privatização no governo passado teve falhas e comportamentos suspeitos. Mas nem isso tira a convicção de que fez o que era necessário. O fato de Lula ter promovido um relativo ajuste nas contas públicas, apesar do déficit previdenciário, por exemplo, deve ser contabilizado muito mais à continuidade da política econômica iniciada no governo de FH do que aos méritos de deste governo.Se o PT colocasse em prática pelo menos 20% do que pregava antes de assumir o governo, este país já teria ido para o buraco.Gostaria de assistir, sim, a execução de uma política social efetiva, não esse assistencialismo inócuo que Lula vem pratiando com mero fim eleitoral.

Nídia disse...

Olá Fernando!
Pois é, a gente tem algumas perguntas sem resposta, né? Na época do escândalo do mensalão todos se perguntavam: de onde veio tanto dinheiro? fulano sacou tantos milhões do banco rural, siclano sacou outros tantos... e em meio a tantas perguntas eis que surge o "bem bolado e cinematográfico" roubo ao banco central de fortaleza. Deu pra acreditar naquela história? substimaram muito o nosso poder de raciocínio, pelo amor de Deus! Fica um cheiro de lavagem de dinheiro no ar!! Lavagem de dinheiro "oficial" Nós nunca mais vamos ter notícias daquele dinheiro, pode ter certeza. Armaram um esquema para recuperação de "parte" do dinheiro, pra dizer pra gente: olha estamos pegando os bandidos!!Mas um esquema muito certinho demais. So faltaram as flechinas indicativas piscando e dizendo: o dinheiro está aqui!! E com isso todos se esqueceram da pergunta: de onde veio todo o dinheiro do mensalão????

Fernando Soares disse...

Oi Nídia!
Está em discussão no Congresso, o financiamento público das campanhas eleitorais. Segundo os defensores desta proposta, o financiamento público acabaria com o caixa dois e a corrupção no sistema eleitoral, nivelando as candidaturas. Segundo um levantamento inicial, cada eleitor "contribuiria" com cerca de 7 reais em cada eleição. O que vc acha disto? Vc é a favor?
Um abaço

Nídia disse...

Oi Fernando.
Agente vai ter que pagar mais isso também? Oficialmente, estou dizendo.A partir do momento que a gente tiver que pagar a conta, estaremos encrencados. No início serão 7 reais. Descontados como? 1 x em cada 4 anos? Posteriormente a gente pode imaginar que pediram mais dinheiro ( se a responsabilidade de pagar a conta for nossa). Não acho que isso seja solução para combater a corrupção. Sempre alguns conseguiram dinheiro por fora.Uma solução para diminuir a conta dos partidos seria restringir o número de candidatos. Fazer uma seleção para se ter os melhores. Apostar na qualidade e não na quantidade.E isso seria facilitador para que se fiscalizasse a tesouraria dos partidos.

Fernando Soares disse...

Sim, Nidia, é mais um imposto: o imposto eleitoral. Mas os políticos têm levado a sério esta possibilidade, para nossa tristeza. Mas nada impede que continuem a receber, debaixo do pano, o financiamento de empresas e de pessoas físicas interessados na eleição de determinados candidatos. Continuaremos a assistir a corrupção eleitoral, e ainda teremos de pagar parte disto.Realmente, não é por aí. Que o financiamento continue livre, mas que haja mais transparência no processo, é o que queremos.Tem que haver mais transparência no processo eleitoral e maior vigilância do eleitor

Nídia disse...

Pois é Fernando, não sou contra o financiamento das campanhas por quem quer que seja. Cada um faz do seu dinheiro o que quizer, desde que haja "transparência" nas ações dos políticos e que se cumpra a lei nos casos onde haja corrupção.

Anônimo disse...

Muito bom seu artigo Fernando.
Revendo toda história do partido percebe-se que de fato este nunca trilhou para o bem da liberdade e da democracia. Dos direitos iguais, do diálogo. É um partido com bases autoritárias, visão retrograda.
Diante dos comentários percebo claramente que te julgam um tucano. Não me parece isto.
E há de concordar comigo, fato é que quanto maior a participação do governo em qualquer setor da sociedade, maior a possibilidade de se ter corrupção.
Quanto ao comentário de Nídia que faz referência ao assalto do Banco Central de Fortaleza está relacionado aos grandes desvios de Brasília, não acredito nisso. Nada mais bem bolado do que o Mensalão. Tudo direto da fonte, mesclado com um certo glamour.
Quanto às discussões no Congresso para o financiamento público das campanhas eleitorais, será apenas mais um imposto a ser pago por nós cidadãos que já pagamos tantos impostos. O mais sério disto tudo é a passividade das pessoas em saber disso e não reagir contra mais este abuso. Onde está sendo aplicado o CPMF por exemplo? Onde está o retorno de tantos impostos? Temos que reagir, ir pra as ruas e pedir explicações. Exigir o retorno das aplicações de tantos impostos pagos. Se houvesse isto talvez compreenderíamos, aceitaríamos e pagaríamos a mais este imposto.

Fernando Soares disse...

Anônimo
Imposos taxas e "contribuições " são criados a cada dia sem que a sociedade opine sobre sua necessidade, ou não. O Congresso, submisso , por motivos óbvios, acata praticamente tudo o que vem do executivo, em troca das migalhas da liberação de verbas do orçamento.
Uma reação da sociedade realmente se faz urgente. Vc tem razão.