terça-feira, junho 06, 2006

OS FINS E OS MEIOS DO GOVERNO PETISTA










No final dos anos 60, diversos grupos de esquerda partiram para atos de puro terrorismo: ssaltavam bancos, seqüestravam, matavam e torturavam, sempre sob o pretexto de que era nobre a causa pela qual lutavam. E, em parte, realmente era. Tratava-se, primeiro, de livrar o país da ditadura militar, o que seria extremamente louvável não fosse o fato de quererem substituí-la por outra ditadura , tão ou mais terrível do que aquela: uma ditadura de esquerda, de molde totalitário, como as que dominavam os países socialistas de então. Ao agirem desta forma e com estes métodos, estavam colocando em prática aquela velha máxima de que “os fins justificam os meios”. Isto significava que para alcançar o seu propósito final, toda forma de violência e vilania era perfeitamente aceitável e compreensível.

Pois não é que cerca de quarenta anos depois , muitos daqueles personagens, agora no poder, tentaram repetir a história de que para se alcançar o objetivo final todos os métodos são válidos? Só isso pode explicar o fato de um partido alcançar o poder pelo voto popular tenha se voltado para o passado, quando as convicções democráticas não eram o forte destes senhores. No poder, figuras como J Dirceu, J Genoino, A Palocci, L Gushikem , dentre outros partiram para a pratica de atos ilegais, num comportamento semelhante ao dos jovens guerrilheiros que eram. Não que, no poder, o PT tenha partido para sequestros assassinatos e explosões de bombas. Mas passando a adotar como estratégia um mal crônico, que é uma das causas do atraso econômico e das mazelas sociais, ou seja a corrupção.. Em tempo, antes que eu me esqueça: assassinatos aconteceram, mas eu não seria ingênuo de acusar os dirigentes do PT pelas mortes de Celso Daniel e de Toninho do PT .Mas estes casos precisam ser melhor investigados e esclarecidos, e, sintomaticamente, o PT parece fazer de tudo para que as investigações não se aprofundem.


Quer dizer, o PT aplicou como instrumento de ação no poder, um veneno que sempre condenou. Afinal, um dos pilares sobre os quais se assentou o partido de Lula foi o discurso da ética e da moralidade pública.Durante duas décadas, nossos ouvidos foram martelados com infindáveis discursos condenando atos de improbidade nos governos de J Sarney,F Collor, Itamar, e FHC.Este último,especialmente, sofreu ataque cerrado das hostes petistas .Nada escapou do fogo de sua artilharia pesada. Desde a política econômica, até o instituto da reeleição.Desde a política de privatizações, até a reforma administrativa. Desde os acordos e negociatas políticas no Congresso, até os acordos internacionais com o FMI. Auxiliares diretos do presidente ,como Eduardo Jorge, foram massacrados e execrados em comissões no Congresso, incitados por promotores inescrupulosos e evidentemente partidários como Luis Francisco.Não quero com isto dizer que o governo de FHC tenha sido um centro de castidade e e de pureza. Nada disto.Muitas das acusações que eram feitas ao governo tinham consistência e estavam por merecer investigações mais rigorosas. Mas o que diferencia a corrupção praticada nos governos anteriores, da corrupção do governo petista, é que esta foi planejada, esquematizada e implementada pelo próprio núcleo comandante do governo e do partido hegemônico, com o propósito de consolidar a sua força e se perpetuar no poder. Esta é a diferença.

Muito já se falou que a corrupção neste país é sistêmica e endêmica. Sistêmica, porque está enraizada nas engrenagens das próprias instituiçoes que movimentam a máquina pública brasileira – ministérios, parlamentos ,judiciário,prefeituras, secretarias, estatais,e órgãos públicos em geral. A própria organização burocrática é lenta ,complexa e pesada ,de tal modo que criar dificuldades para vender facilidades passou a ser o padrão normal nas relações entre os entes públicos e os cidadãos. No Brasil, a corrupção é endêmica, não porque aquí seja uma ilha de corruptos cercada de países honestos, mas porque a nossa corrupção possui muitas características que lhes são muito particulares. Mas,mesmo com toda esta tradição de corrupção,ainda não se tinha notícia de que algum outro governo tivesse dela se apropriado como um instrumento de aumento e perpetuação no poder , tal como acontece agora com o PT. Portanto, neste sentido,trata-se de um esquema de corrupção muito grave, muito amplo e... inédito.

O termo “quadrilha”, empregado pelo procurador-geral sintetiza tudo. Quadrilhas formadas para se apropriar do dinheiro público sempre existiram ao longo de nossa sofrida História. Neste momento, tem sido, por exemplo,em que tem sido bastante lembrado o governo de JK,ele pode nos servir como referência para ilustrar o que digo.Durante o seu governo,a multiplicação desenfreada de obras públicas, a construção de Brasília, a generosidade na liberação de verbas aliada a uma total falta de controle na aplicação destes recursos, proporcionaram, sem dúvida, a formação de diversos esquemas de apropriação ilegal destes recursos, por parte de empresários,políticos e funcionários públicos. Mas nada leva a crer que houvesse uma centralização do processo de corrupção tal como acontece agora. O que havia era muita ladroagem generalizada, incentivada pelas torneira sempre abertas a jorrar dinheiro farto.

Durante os seus intermináveis e cansativos discursos, que costuma iniciar com a frase “nunca neste país se fez isso e aquilo como no meu governo, Lula gosta de se comparar a Juscelino.O que Lula diz a respeito de suas “realizações” são verdades que só existem na cabeça do presidente, ou então obras de algum marqueteiro , e , neste caso nem Lula acredita no que diz.Mas como toda mentira tem algo de verdade,Lula pode ficar com a consciência menos pesada, pois tem duas “atenuantes”: primeiro, é verdade que este país NUNCA assistiu um esquema de corrupção tão centralizado no poder máximo da República, e que envolveu tantas figuras do alto escalão do governo e do partido, e, quem sabe, o próprio presidente; segundo, a corrupção do governo Lula supera em muito a corrupção no governo de JK. Ao menos nisso Lula foi MELHOR do que a sua referência recorrente.
060606

3 comentários:

sIMON disse...

A sua análise é correta. Apesar de as figuras que vc citou não estarem mais no poder, é verdade que aprendizes do bolchevismo que são, eles colocam o partido acima do estado, e para alcançar os seus propósitos usam de todas as armas legais e ilegais. pena que as investigações, por culpa de uma oposição frouxa, icou no meio do caminho e Lula pode ser até reeleito.

FORA DIREITA! disse...

Mais uma vez o discurso de direita , próprio de Veja e congeneres. nuncase conformaram com o fato da esquerda ter alcaçado o poder. Falta a Lula apenas mais determinação para romper com as amarras do neoliberalismo e do conservadorismo. Que Lula no segundo mandato, se mire em ´Chávez, em Morales e construa um governo progressita e socialista.É com esta esperança que muitos vão repetir o voto em Lula. isto a direita ressentida não compreende.

Frank disse...

Seu texto mostra claramente quem você é, com certeza o seu Brasil é melhor do que o real, afinal é isso que a classe média "informada" vê, um Brasil sem pobres, onde só existam “Alemedas Lorena” a “Rodeo Drive dos jardins” como vocês adoram de falar.

Vocês (Jornalistas) falam em democracia como se fossem seus criadores, no fundo acho até que são, pois como diria o cantor Jimi Clif "Democracia é: Demo= Demônio, Cracia= Regras... Regras do Demônio”, pois é, esse o conceito de democracia que se encaixa aos seus pensamentos e que são claramente observados na conduta da maioria da imprensa brasileira.

Não sei da sua idade, mas com certeza você não viveu no período da Ditadura Militar, e se viveu, foi em completa ignorância como 99% da classe média brasileira da época.

Você fala em corrupção como se ela tenha surgido com e no governo Lula, sinto muito lhe informar que não, mas é claro que no governo FHC, bem como nos governos dos dissimulados Serra, Alckmin, Kasab e Aécio entre outros, ela é simplesmente abafada e com uma enorme ajuda da imprensa, e não precisa ser muito atento para perceber.

O que me assusta é que hoje, pessoas como você, apóiam claramente políticos de agremiações com os Demo (Arena > PDS > Democratas), e são esses que hoje destroem a Amazônia, escravizam trabalhadores e são responsáveis pela grande quantidade de assassinatos no interior do Brasil, e foram esses também que apoiaram a ditadura que assassinou inúmeros JORNALISTAS, Brasil a fora. Cuidado, o feitiço pode se voltar contra o feiticeiro!

Quero observar que não sou petista, minha questão não é defender esse ou aquele político em especial só porque ele é de esquerda, e sim seu texto “grupos de esquerda partiram para atos de puro terrorismo: ssaltavam bancos, seqüestravam, matavam e torturavam” porque que eu saiba, quem mantinha aparelhos de tortura preparados pelo governo americano eram as forças armadas e não os “terroristas” aliás, a utilização dessa palavra para designar grupos políticos que lutam contra governos apoiados pela direita, também é uma criação da propaganda americana.

Resumindo: Pior que falar uma besteira é dar a ela o caráter de verdade.