quarta-feira, agosto 16, 2017

SOCIEDADE VITIMADA

Mais uma vez a sociedade é vitimada pela ação dos políticos do Congresso. Trata-se do que eles chamam de "reforma política", mas que não passa de uma forma de tirar dinheiro do povo e permanecer no poder, após 2018. E não se trata de pouco dinheiro: são R$ 3,6 bilhões que serão destinados, segundo eles, ao financiamento das eleições do próximo ano, sob o pretexto de que não existe mais o financiamento privado, através de empresas. Com o cinismo de sempre, os parlamentares vêm chamando esse assalto ao cidadão de "fundo de financiamento à democracia". Me faz lembrar a já extinta Alemanha Oriental, país comunista sob regime totalitário, que oficialmente era chamado de "República Democrática Alemã" Pois o que os deputados estão a praticar pode ser tudo , menos democrático.A reforma na Câmara se processa sob total ausência de participação popular, e em total discordância com a vontade do povo. Como se essa agressão não bastasse, os deputados decidiram alterar o sistema eleitoral de proporcional para majoritário, com a promessa de que em 2022 será reformado mais uma vez para o distrital misto. Por que não permanecer com o sistema proporcional? Por que inventar o tal distritão? É que os congressistas envolvidos em corrupção acham que assim será mais fácil serem reeleitos, permanecerem com foro privilegiado, e continuarem impunes. É obrigação da sociedade reagir a isso.

quinta-feira, agosto 03, 2017

INSTINTO DE DEFESA

Nenhuma causa nobre moveu os deputados a votarem contra a investigação de Temer pelo STF. Embora em seus discursos justificassem sua posição pela necessidade de continuarem as reformas, a verdade era bem outra: votaram com Temer por instinto de auto defesa: protegendo o presidente de uma investida da PGR, estariam por consequência se protegendo. A justificativa da defesa da continuidade das reformas, portanto, soa falso na medida em que Temer é importante , mas não essencial para a continuidade dos projetos. Se fosse aceita a denúncia , e Temer afastado, seu substituto, Rodrigo Maia poderia perfeitamente dar continuidade à pauta reformista pelo fato de ser afinado com ela. Portanto, a desculpa não colou. Temer venceu essa etapa basicamente por dois motivos: conhece a Câmara como ninguém e praticou com grande desenvoltura o "é dando que se recebe". Essa prática não foi inaugurada por Temer. Desde o governo Sarney - passando por FHC, Lula e Dilma - é tradição essa troca de favores:o voto dos deputados a favor do governo em troca de cargos e emendas orçamentárias. A novidade está no fato de que pela primeira vez um presidente usou desse artifício para escapar das garras da justiça, acusado que é por corrupção passiva.

segunda-feira, julho 31, 2017

CAOS NA VENEZUELA

A Venezuela está literalmente dividida. De um lado, o governo autoritário e populista de Nicolás Maduro; do outro, as forças da oposição. O país está um caos. País monoprodutor, a Venezuela depende quase exclusivamente do petróleo, o que, com a crise política, tem levado a uma situação de desabastecimento e hiperinflação. Falta de tudo na Venezuela, desde papel higiênico até papel- moeda para imprimir o seu dinheiro.Enquanto a oposição pede a saída imediata de Maduro, o governo convoca uma Assembléia Constituinte, formada exclusivamente por chavistas para elaborar leis que se adequem ao plano de perpetuação no poder. A Venezuela vive praticamente em guerra civil. Os conflitos de rua entre chavistas e oposição são contínuos, e resultam em grande número de mortos e feridos. Milhares de pessoas atravessam a fronteira com o Brasil em busca de paz , alimentos e emprego. A Venezuela se isola da comunidade internacional e está a um passo de ser vítima de um boicote econômico. Diante de um quadro tão assustador, Maduro usa o discurso que é comum aos governantes de Cuba e CoreIa do Norte: culpa os Estados Unidos pela situação em que o país se encontra.

sexta-feira, julho 21, 2017

SOLUÇÃO FÁCIL E ABSURDA

Solução fácil e absurda. O governo gasta mal, desperdiça, esbanja, e, com o caixa no vermelho, assalta o bolso do contribuinte. E estamos falando de um país em crise, com alto índice de desemprego. O governo federal faz pouco para incentivar a retomada de economia. Para agravar, aumenta tributos sobre combustíveis, o que certamente provocará efeito em cascata, com o aumento dos custos em todos os setores da produção. O ministro da Fazenda, alguns meses atrás, havia garantido que não haveria aumento da carga tributária, devido à política de contenção de gastos. Ao que parece, os gastos foram forçosamente contidos apenas no setor privado, devido à crise. No setor público não existe planejamento, não se faz cortes de gasto e de pessoal. E a gastança continua, alimentada pela corrupção. Governar através do aumento de tributos pode ser uma solução fácil, mas é a pior maneira de gerir o Estado.

quinta-feira, julho 20, 2017

TEMER DESFAZ O QUE FEZ



Após o desastre chamado Dilma, esperava-se de seu sucessor um governo, pelo menos, correto, com condições mínimas de atravessar a ponte até o final de 2018. Temer, ao propor o teto de gastos, a reforma no Ensino Médio, a Reforma Tributária e a Reforma Previdenciária, acabou superando as expectativas. Reformas corajosas, antipopulares, porém fundamentais. Em que pese os protestos de sempre, vindos da velha esquerda radical, tudo parecia bem. A reforma na educação aprovada, assim como a lei do teto. A Reforma Trabalhista, encaminhada. Foi então que um tal Joesley Batista entrou na história, e a face oculta do presidente foi exposta ao grande público. Desde então ele não tem feito outra coisa que não se defender das acusações. O Brasil voltou à deriva, numa mistura de incerteza e insegurança. Parecendo estar em outro planeta, Temer procura transmitir um otimismo no qual nem ele acredita. Na presidência, sua presença tornou-se um estorvo para as próprias reformas que propôs. O teto de gastos, por exemplo, vem sendo desrespeitado pelo próprio presidente, quando irresponsavelmente libera verbas do Orçamento para a compra de deputados que deverão apoiá-lo na votação da Denúncia no sentido de votar contra a denúncia, no Congresso. O que Temer começou a fazer pelo País, está sendo, por ele, desfeito. O Irritante apego ao cargo, caso seja  para garantir o foro privilegiado, vai se mostrar inútil. Mesmo que ele escape das denúncias da PGR, quando deixar o governo, ficará à mercê da primeira instância, provavelmente nas mãos de Sergio Moro.

quinta-feira, julho 13, 2017

SOMBRA DE SI MESMO

A sentença proferida por Moro decepcionou a muitos que queriam justiça. Não pelo fato de ter condenado Lula a 9,6 anos de prisão, em razão do político prosseguir em liberdade. Livre, leve e solto, Lula continua a fazer o que mais tem feito nos últimos anos: reunir a militância, e repetir a cantilena de sempre,fazendo-se de vítima e atacando a Justiça. Na sentença, Moro provou substancialmente a culpa de Lula na questão do apartamento do Guarujá, mas o petista insiste em politizar um fato que é jurídico e criminal. Lula é corrupto, com carimbo e firma reconhecida. A atenuante é que ele não está sozinho nesse antro de corruptos. Conta com a companhia de grande parte dos políticos brasileiros, a maioria alimentada com dinheiro sujo nos anos de seu mandato. Lula quer intensificar a sua candidatura à presidência, no sentido de constranger a Justiça. Ele conta com a lentidão da Justiça. Assim, é possível que às vésperas do pleito de 2018, Lula ainda não tenha sido julgado em segunda instância. Embora a maioria da sociedade o rejeite, ele acredita ter votos suficientes para atravessar o primeiro turno. Vencer o segundo turno e ser eleito, é outra conversa. A favor de Lula pesa a absoluta falta de adversários. Os que têm sido mencionados – Marina, Alckmin, Ciro, Bolsonaro – são pouco convincentes, e João Dória, embora procure encarnar um novo estilo de político, é um completo desconhecido. Em 2002, Lula, que até então era um eterno perdedor, venceu as eleições quando conquistou a classe média e acalmou o mercado, ao apresentar a “Carta aos Brasileiros”. Naquela época, para muitos, o “Lula lá” se transformou num símbolo de esperança que, vimos depois, foi um grande engodo. Agora, sem condições políticas e morais de dirigir qualquer palavra aos brasileiros, exceto à militância, Lula não passa de uma sobra de si mesmo

quarta-feira, julho 12, 2017

NUNCA ANTES NESTE PAÍS...

Finalmente a justiça foi feita. Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9,6 anos de prisão no processo referente ao triplex do Guarujá, mas, ao que tudo indica, poderá recorrer em liberdade. A sua prisão, ou não, dependerá do julgamento em segunda instância no Tribunal Regional Federal. Preso, perderá os direitos políticos e não poderá candidatar, em 2018. A condenação do petista não deixa de ser uma vitória daqueles que sempre propugnaram por uma política limpa, coisa que Lula não praticou. Julgando-se o melhor presidente de toda a História do Brasil, e muitas vezes se comparando a Jesus Cristo, o ex-líder metalúrgico governou como se não existissem leis , ou que estivesse acima delas. Mandou às favas a ética na política, que ele bradava quando fundou o PT e passou a fazer oposição a todos os governos. Lula julgou que sua alegada popularidade seria salvo conduto para fazer o que quisesse, mas se emaranhou numa rede de corrupção. A crença na impunidade durou até que um juiz corajoso de Curitiba, uma Polícia Federal atuante , e um grupo de promotores dispostos a combater a corrupção, colocou fim à farra de Lula e seus asseclas. O petista foi cada vez mais acossado pela justiça,e confrontado com os fatos incriminadores, se defendeu com contradições e mentiras. Agora, dirigindo-se à militância subalterna, só resta o mesmo velho discurso: "foi perseguição política da direita golpista". Não tem jeito. Aconteça o que acontecer, ficará marcado como único presidente da História do Brasil condenado por corrupção. "Nunca antes neste País..."

quarta-feira, junho 28, 2017

SAÍDA URGENTE

Com pouco mais de um ano de governo, Temer tornou-se um incômodo. O político que foi escolhido num acordo entre o PT e o PMDB para ser vice na Chapa encabeçada por Dilma, revela-se comprometido com as reformas, mas também com a corrupção. Denunciado por associação criminosa com o empresário Joesley Batista, de quem recebia propinas, segundo o PGR, Temer age como se a faixa presidencial fosse propriedade sua, e não renuncia ao cargo. Enquanto isso, o Brasil sangra. As medidas necessárias para que o País saia da crise estão em compasso de espera no Congresso. Com a base aliada se esfacelando, Temer promete benesses ao grupo de deputados fisiológicos de baixa confiabilidade, conhecidos, como "centrão", em troca dos votos para que se livre do processo no STF. É bom lembrar que se trata do mesmo grupo que apoiava Eduardo Cunha e que depois voltou-se contra ele. Em defesa da permanência de Temer, alega-se a ausência de nomes para substituí-lo. Não se trata de encontrar nomes, pois a solução é Constitucional. E a Constituição determina que, com o afastamento do presidente, assume o presidente da Câmara. Afastado definitivamente, o Congresso elege seu sucessor. O que falta, portanto, não são nomes para suceder Temer. Falta vontade política dos parlamentares, grande parte deles também sob suspeição, e investigados.Para solucionar esse impasse que tanto mal faz ao Brasil, Temer tem que deixar o cargo com urgência. Depois, é só seguir o que manda a Constituição.

sexta-feira, junho 23, 2017

POLÍTICA E POLÍTICOS

 Está errado o ministro Fachin ao afirmar que as instituições não estão em crise. As instituições só funcionam perfeitamente quando seus membros estão a cumprir o seu papel constitucional. E não é o que acontece no Brasil, onde os três poderes estão evidentemente corrompidos. Temos um presidente da República acuado por sucessivas denúncias; um Congresso onde mais da metade de seus integrantes estão vendidos aos interesses de grandes empresas; e um judiciário sob suspeição ao emitir sentenças de caráter mais político do que jurídico. Entretanto, Fachin está certo quando fala sobre a criminalização da política. Quem deve ser criminalizado são os políticos, não a política. Não existe saída fora da política, a não ser que o País opte pelo anarquismo. Mesmo nas ditaduras mais ferrenhas as decisões são políticas. O que de fato está em jogo, e sob risco, é a democracia. Muitos estão a defender uma ditadura. Eu defendo a democracia, e creio que a limpeza que a Lava Jato está a fazer, separando o joio do trigo, fará  com que as instituições voltem a funcionar plenamente.

terça-feira, junho 20, 2017

TEMER SEPULTA AS REFORMAS


A fraqueza do governo Temer já se manifesta no comportamento de  sua base de apoio no Congresso. Na votação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais  do Senado, os governistas contavam com a aprovação do relatório do senador Ricardo Ferraço , mas acabaram sendo derrotados por 10x9. É uma derrota sintomática, que acende o sinal amarelo para o próprio futuro das reformas. Como o País está praticamente sem governo, uma vez que o presidente passa a maior tempo se defendendo das acusações, é bem provável que os deputados e senadores , com a proximidade das eleições não queiram arriscar o seu futuro político aprovando reformas necessária, porém impopulares. As reformas foram geradas no governo Temer e poderão ser sepultadas por culpa exclusiva do presidente , que insiste em se manter no cargo. Tivesse um mínimo de grandeza, Temer já deveria ter renunciado, abrindo caminho para  aascensão ao poder, de forma indireta como manda a Constituição, de um político também favorável às reformas  e com força suficiente para levá-las adiante.

quinta-feira, junho 15, 2017

COMPORTAMENTO USUAL

Militantes do PT afirmam que Miriam Leitão mentiu ao dizer que foi abordada e agredida por militantes do PT num voo para o Rio de Janeiro. Entre a palavra dos petistas e  a de Miriam, fico com a jornalista. O que teria Miriam a ganhar ao inventar ou exagerar no relato desse fato? O comportamento usual da militância dos vermelhos nos leva a crer serem eles capazes a esse  comportamento. O PT e seus aliados não se conformaram ainda com a deposição constitucional de Dilma Rousseff e despejam a sua ira sobre tudo e sobre todos que, de alguma forma, apoiaram a saída  da presidente.

sexta-feira, junho 09, 2017

PELA PORTA DO FUNDO DA HISTÓRIA



Quatro dos sete ministros do STJ iniciaram o julgamento com o firme propósito de absolver Temer e Dilma. Para eles, de nada vale o relatório completo e bem embasado por provas que mostram de maneira cabal a existência de dinheiro sujo na campanha da chapa PT-PMDB. O esforço do relator Herman Benjamin parece ter sido em vão. Fica demonstrado que, no Brasil, a justiça, quando se trata de poderosos, é falha. O tribunal perdeu a grande chance de entrar para a História de maneira honrosa. Vai ser lembrado como o tribunal que diante das evidências de ilicitudes, fechou os olhos e se tornou conivente com o crime. Lamentável.

sexta-feira, maio 26, 2017

CONSPIRANDO CONTRA A DEMOCRACIA


Parlamentares, alguns ministros do STF e políticos em geral conspiram  contra  a democracia. Planejam restringir ao máximo a atuação de juízes, polícia federal e procuradores no combate à corrupção. Conforme  o que está sendo planejado, o Congresso votaria uma anistia geral  do chamado "caixa dois", o que livraria a cara da maioria dos políticos. O STF faria uma revisão na lei que possibilita que um condenado em segunda instância seja preso. Gilmar Mendes, que votou pela prisão em segunda instância,  já anunciou que mudará o seu voto. Assim,somente após condenação em terceira instância - STJ - haveria a prisão. Lula, por exemplo, condenado por Moro e pelo Tribunal Federal, em tese, continuaria livre, aguardando julgamento em terceira instância. As prisões prolongadas, como acontece em Curitiba, praticamente acabariam, pela tendência do STF em conceder habeas corpus. Haverá restrições ao instituto da delação premiada, que só seria possível com o delator em liberdade. Em nome da contenção de gastos, planeja-se diminuir o orçamento da PGR  e das procuradoria federais. Tão grave como tudo o que foi dito acima, ou talvez mais grave, é o acordão para anistiar os ex-presidentes. O objetivo imediato é apressar a renúncia de Temer. Com a tal anistia, Lula, Dilma e Temer escapariam de uma condenação e possível prisão. Tudo isso está a merecer a volta das grandes manifestações verde e amarela. Sem  bandeiras vermelhas, black blocs e vandalismo. Mas com muita indignação e patriotismo.

quinta-feira, maio 18, 2017

O PAPEL DO CENTRO NA CRISE ATUAL




Caso Temer caia, o que é quase certo, somente um amplo acordo será capaz de fazer o sucessor escolhido chegar a bom termo. Mas como chegar a um acordo, se o País está dividido e os políticos completamente desacreditados? Um acordo nacional só se faria com um consenso na sociedade. Mas a sociedade está radicalizada ideologicamente, como nunca esteve. À esquerda  , os partidários do PT e seus aliados, defensores do atraso, que acreditam que a Venezuela e Cuba são referências para o Brasil.  À direita, os  radicais  se constituem em dois grupos: os que não acreditam na democracia e clamam por intervenção militar, e os que “acreditam”, desde que o presidente seja Jair Bolsonaro. O centro, liberal ou conservador,que deveria ser o fiel da balança, parece tímido ante a gritaria dos radicais de um lado e de outro. É do centro que depende agora a dose necessária de bom senso para que  se encontre um rumo para que o Brasil acabe de atravessar a “pinguela”,o  que Temer não soube fazer.  A gritaria atual dos radicais não pode prevalecer sobre o grito cívico de milhões que foram às ruas , em 2013 e 2014, para pedir o fim da corrupção e o impeachment de Dilma. Nesse sentido, acho se falar em eleições diretas agora, momento propício para que demagogos, populistas e salvadores da pátria se sobressaiam. Lula, por exemplo, não condenado nem em primeira instância poderia vir a ser candidato. Portanto, o momento é de cautela e de obediência à Constituição. Alterar a Lei no calor da crise, muito mais do que simples casuismo, pode parecer golpe. 2018 está logo aí, e haverá tempo para a  sociedade refletir,amadurecer e escolher um candidato que realmente tenha liderança e a represente.

segunda-feira, maio 08, 2017

MORO FREIA LULA


Lula conduziu a sua carreira política amparado nos aplausos subservientes dessa gente que comparece aos seus comícios. São militantes do partido, gente ligada à CUT, aos "movimentos Sociais", beneficiários de "programas sociais". Lula depende dessa  gente  para  se sentir forte , disparar as asneiras de sempre, e deles esperar a ovação. São pessoas que não sabem pensar com seus próprios cérebros e precisam do cérebro do guru. Tal qual uma seita de fanáticos repetem palavras de ordem, sem saber bem o que significam. Como parecem não saber que não passam de otários a enriquecer o chefe supremo, assim como crentes enriquecem os pastores charlatães. Só que em política, não são apenas eles que pagam o pato. Somos nós, trabalhadores e empresários, que sustentamos essa ambição desmedida pelo poder. Lula vai à Curitiba, mas quer a companhia desse auditório fiel com suas bandeiras vermelhas. Moro é mais inteligente quando tenta impedir que um depoimento à Justiça seja politizado e se transforme num comício.

sexta-feira, maio 05, 2017

DIA 10 SE APROXIMA


Lula já devia ter sido ouvido, pois seu nome aparece em nove de dez depoimentos prestados na Lava Jato. Mas o juiz Moro adiou o quanto pôde, talvez para que as provas contra o petista se acumulassem e se tornassem   incontestáveis. O fato é que essa demora fez Lula renascer politicamente. Lula estava "morto" até o dia em que resolveram conduzí-lo coercitivamente ao aeroporto de São Paulo, quando deveria ter sido conduzido à Curitiba. A partir daí, a Jararaca  despertou  e se deu ao luxo de atacar os promotores que investigam sua participação em negócios escusos, ou mesmo o Sergio Moro. Lula  se fez vítima de um esquema político para impedir o seu retorno ao poder , em 2018, mas se mostrava incapaz de explicar a origem dos recursos para  a compra do apartamento no  Guarujá e do sítio em Atibaia. Espero que Sergio Moro  tenha dados irrefutáveis que façam Lula calar, ou então a atuação do juiz ficará comprometida. Enquanto isso, os  vermelhos se assanham e prometem lotar as ruas de Curitiba com suas bandeiras, e sua tendência para a baderna.O que mais me causa espanto é ver pessoas a defender um sujeito que tanto mal causou ao País e que é acusado por vários crimes de extrema gravidade.

segunda-feira, abril 17, 2017

IMAGEM DE LULA DETERIORADA


O jornal espanhol El País publicou nesta segunda-feira (17) uma matéria sobre a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após as declarações de Marcelo e Emílio Odebrecht.  O diário afirma logo no primeiro parágrafo que Lula tinha tanta intimidade com Emilio Odebrecht, o líder da construtora brasileira gigante que leva seu nome, que quando ele comemorou seu último aniversário como presidente do Brasil em 2010, foi presenteado por Emílio com dois presentes personalizados:  o primeiro tratava-se de 100 cópias de um livro sobre Dona Lindu, mãe do presidente,em seguida, um modelo da futura Arena Corinthians, o estádio do time de futebol de Lula.  Havia uma conversa sobre um terceiro presente, que seria relativo ás obras de uma fazenda em Atibaia. O tsunami da  Odebrecht  não salva ninguém, mas atinge especialmente a imagem de Lula, ou melhor, o mito de Lula; aclamado pela mídia como um operário incorruptível, amigo dos pobres e sem dinheiro, que presidiu o governo entre 2002 e 2010, retirando 30 milhões de pessoas da linha de pobreza. [JB]

quinta-feira, abril 13, 2017

Logo que a lista da Odebrecht foi divulgada, o Congresso esvaziou.

quarta-feira, abril 12, 2017

quarta-feira, abril 05, 2017

quarta-feira, março 01, 2017

SARNEY GANHA FORO PRIVILEGIADO





O ex-presidente José Sarney pode dormir sossegado. Está agora sob o manto protetor do STF.Por quatro votos a um, os ministros da Segunda Turma decidiram que os quatro inquéritos que envolvem o político maranhenSe deverão ser investigados não mais em  primeira instância , mas diretamente pelo Supremo. O motivo alegado é que os inquéritos que envolvem Sarney também envolvem pessoas com foro  especial.Isso significa que provavelmente nunca serão concluídos. O colegiado tem se especializado em trancar processos que envolvam políticos em atividade. No caso da Lava Jato, nenhum processo foi concluído e nenhum réu julgado e condenado.  O motivo pelo qual todos buscam o foro privilegiado é a    certeza da impunidade. Os advogados de Lula querem o mesmo privilégio concedido a Sarney, usando os mesmos argumentos. Alegam que existem semelhanças em ambos os casos. Corremos o risco de assistir  ao ex-presidente , que anda apavorado com os juízes de primeira instância, em especial  Moro, ficar definitivamente impune sob a guarda dos ministros do Supremo. Como  todos sabemos, são muito condescendentes com os políticos, em especial os caciques da política.

sexta-feira, fevereiro 17, 2017


LOBÃO NA CCJ






Num Senado onde o que menos importa é a obediência à  Constituição e a prática constante da justiça , não se pode  esperar nada melhor do que Edison Lobão na presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Surpresa seria se um senador digno e honrado – será que existe?- estivesse no comando da Comissão. Essa Comissão é essencial para a aprovação de projetos que vão afetar a vida de milhões de brasileiros. E ela que decide sobre  constitucionalidade de cada projeto a ser votado no Senado. E é ela que vai sabatinar o indicado para ministro do STF. Vai ser curioso: um plenário repleto de políticos suspeitos de corrupção,  a questionar um ministro que, em tese, poderá julgá-los no futuro. Mas o atual quadro do STF não mete medo a nenhum deles. Por isso continuam a agir com a desfaçatez de sempre.Enquanto em Curitiba mais de cem processos envolvendo empresários  e ex-políticos foram concluídos,  e os réus condenados, no STF nenhum dos políticos acusados foi ainda incomodado. É por essas e outras que Lobão, cinicamente, não se julga apto a  comandar uma comissão desse porte.